Vocações |
Testemunho da Irmã Rita Maria de Assis, das Irmãs Clarissas
“Deus seja tudo em todos!”
<<
1/
>>
Imagem

A Irmã Rita Maria de Assis tem 29 anos e está há 8 anos no Mosteiro do Imaculado Coração de Maria, em Lisboa, pertencente à Ordem das Irmãs Pobres de Santa Clara, mais vulgarmente conhecidas por Irmãs Clarissas. Fez a Profissão Religiosa, de Votos Temporários, no dia 2 de julho de 2017 e, neste mês de outubro, os seus Votos Perpétuos. É, por isso, com imensa alegria que o SAV - Sector de Animação Vocacional felicita as Irmãs Clarissas e, em particular, a Irmã Rita, e divulga um excerto da entrevista efetuada pelo SAV à Irmã Rita Maria, a 19 de novembro de 2019.

 

Coração em busca

Nasci em Lisboa, no seio de uma família católica. Sou a mais velha de três irmãos e foi em casa que aprendi a AMAR a Deus. De forma discreta, silenciosa, mas muito presente, os meus Pais foram acompanhando cada passo do meu caminho vocacional.

A pergunta “Senhor, que queres que eu faça?” apareceu pela primeira vez aos 16 anos, e foi crescendo à medida dos convites que Deus me fazia na Paróquia. Fui-me deixando interpelar pelo Senhor que me convidava a colocar a minha vida nas Suas mãos. E Ele foi-Se revelando, em sinais, em acontecimentos, em peregrinações, e acima de tudo no íntimo do meu coração no qual se ia moldando o desejo de “Ser tudo para todos”.

 

Coração Orante

Foi na minha Paróquia que descobri o tesouro da oração. Questionava-me acerca do que faziam as pessoas ali todos os dias, e comecei a ir também… Eu tinha os meus sonhos, os meus projectos… Mas dia após dia, deixei-me cativar por esta Presença silenciosa e amorosa de Jesus, que nos momentos de Adoração Eucarística me abria o Seu Coração, me chamava à Sua intimidade… Comecei a rezar, a aprender a colocar a minha vontade na d’Ele.

O início do curso de Economia na Universidade Nova coincidiu com a descoberta do valor da oração de intercessão. Todos os dias, ao entrar e sair da faculdade, ia à igreja fazer uma visita a Jesus e falar-Lhe dos meus colegas… E começava a ver que Jesus “actuava” na faculdade, e que pequenos-grandes milagres iam acontecendo naqueles que à minha volta se dispunham a dar espaço a Deus nas suas vidas. Surgiu no meu coração o desejo de encontrar um “lugar de oração” em Lisboa e eis que me deparei com um mosteiro de vida contemplativa, mesmo no centro da cidade. Estava longe de imaginar que essa seria a “terra” que o Senhor escolhera para que eu me oferecesse a Ele. Aos poucos, ia crescendo o sentido de missão, o desejo de entrega…

Creio que o maior desafio foi aceitar trocar a Economia pela Economia da Salvação... Aprender que a contabilidade de Deus é diferente da nossa, que para Ele 1 pode ser maior que 99, como nos ensina na Parábola da Ovelha perdida... Descobrir Jesus como o Único Necessário e empenhar todos os esforços para que outros façam esta experiência de encontro com o Bom Pastor que dá a vida pelas Suas ovelhas, como o faz por mim em cada dia.

 

Coração Inteiro

Deus foi-me explicando e abrindo o coração para acolher a Sua Vontade.

O desejo de entrega era grande, mas como? Onde? Seria mesmo numa vida contemplativa? O tema da clausura ainda me causava alguma inquietação. E mais uma vez, Nosso Senhor na Sua infinita misericórdia, veio ao meu encontro. Eu estava nas Jornadas Mundiais da Juventude, no Rio de Janeiro, em 2013. Recordo que estávamos sentados numa esplanada e o sino deu as doze badaladas. Rezei o Angelus com uma amiga e no final reparei numa parede grafitada, onde estava escrito: “Dizem que há mundos lá fora que nem em sonhos eu vi. Mas o que me importa o mundo todo se o meu mundo é todo aqui?”. Não foram precisas mais explicações… O coração ardeu-me, sentia que era Nosso Senhor a explicar-me que Ele é tudo, o meu Tudo, e que Ele basta. 3 meses depois entrei no Mosteiro…

 

Coração Eclesial

A história da minha vocação está muito ligada à Igreja de Lisboa, onde experimentei o rosto Materno da Igreja que suporta, nutre e sustenta a minha Fé.

Dentro de mim havia várias inquietações: Como posso consagrar-me a Deus em benefício do Seu Corpo que é a Igreja? A resposta encontrei-a na vida contemplativa, cuja missão passa por levar os homens até Deus, através de uma vida feita imolação, feita oração, feita silêncio, feita doação…

 

Irmãs Clarissas

A Ordem de Santa Clara é uma ordem religiosa feminina – a segunda das Três Ordens Franciscanas – fundada em 1212 por São Francisco de Assis e Santa Clara de Assis, na cidade de Assis (Itália). No Mosteiro do Imaculado Coração de Maria, estão atualmente 7 irmãs, vivendo o Santo Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo em castidade, obediência, sem nada de próprio e em clausura.

 

Testemunho completo e vídeos em:

http://vocacoes.patriarcado-lisboa.pt/testemunhos-irma-rita-maria-de-assis

A OPINIÃO DE
Tony Neves
O Gabão acolheu-me de braços e coração abertos, numa visita que foi estreia absoluta neste país da África central.
ver [+]

Pedro Vaz Patto
Impressiona como foi festejada a aprovação, por larga e transversal maioria de deputados e senadores,...
ver [+]

Guilherme d'Oliveira Martins
Há anos, Umberto Eco perguntava: o que faria Tomás de Aquino se vivesse nos dias de hoje? Aperceber-se-ia...
ver [+]

Pedro Vaz Patto
Já lá vai o tempo em que por muitos cantos das nossas cidades e vilas se viam bandeiras azuis e amarelas...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
EDIÇÕES ANTERIORES