Papa |
‘O Vídeo do Papa’ de fevereiro
“Rezemos pelas mulheres que são vítimas de violência”, é o pedido do Papa Francisco
<<
1/
>>
Imagem

‘O Vídeo do Papa’ deste mês de fevereiro lança um apelo contra a violência que milhões de mulheres sofrem diariamente, nomeadamente “violência psicológica, violência verbal, violência física, violência sexual”. Para o Papa Francisco, esta realidade é uma “covardia e uma degradação para toda a humanidade”, por isso pede aos cristãos orações pelas vítimas, “para que sejam protegidas pela sociedade e o seu sofrimento seja considerado e escutado por todos”.

No vídeo que publica a intenção de oração que Francisco confia a toda Igreja Católica, através da Rede Mundial de Oração do Papa, o Santo Padre diz que “o número de mulheres espancadas, ofendidas e violadas é impressionante”. Segundo um comunicado, “as estatísticas reunidas pela ONU, atualizadas em novembro de 2020, são chocantes: todos os dias, 137 mulheres são mortas por membros das suas próprias famílias; as mulheres adultas representam quase metade das vítimas de tráfico de pessoas em todo mundo; globalmente, uma em cada três mulheres já sofreu violência física ou sexual (e 15 milhões de meninas adolescentes, de 15 a 19 anos, sofreram violação em todo o mundo)”. “No ano passado, além disso, com o agravamento da pandemia, provocando restrição de movimento, isolamento social e insegurança econômica, aumentaram a vulnerabilidade das mulheres à violência na esfera privada em todo o mundo”, lamenta o texto.

 

A OPINIÃO DE
Tony Neves
O Gabão acolheu-me de braços e coração abertos, numa visita que foi estreia absoluta neste país da África central.
ver [+]

Pedro Vaz Patto
Impressiona como foi festejada a aprovação, por larga e transversal maioria de deputados e senadores,...
ver [+]

Guilherme d'Oliveira Martins
Há anos, Umberto Eco perguntava: o que faria Tomás de Aquino se vivesse nos dias de hoje? Aperceber-se-ia...
ver [+]

Pedro Vaz Patto
Já lá vai o tempo em que por muitos cantos das nossas cidades e vilas se viam bandeiras azuis e amarelas...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
EDIÇÕES ANTERIORES