Papa |
Roma
“Se todos cumprirmos as indicações será uma ajuda para acabar com a pandemia”
<<
1/
>>
Imagem

O Papa Francisco apelou ao distanciamento. Na semana em que pediu mais participação feminina na Igreja, o Papa defendeu uma ação urgente para travar “mudanças climáticas radicais e catastróficas”, o jovem italiano Carlo Acutis foi beatificado e foi publicado mais um ‘O Vídeo do Papa’.

 

1. No final da audiência geral de quarta-feira, que decorreu na Aula Paulo VI, o Papa Francisco não saudou os fiéis, como faz habitualmente, por causa dos riscos de contágio, e deixou um apelo ao cumprimento das regras sanitárias em tempo de pandemia de covid-19. “Gostaria de descer e aproximar-me para vos saudar, mas, com as novas prescrições, é melhor manter as distâncias. Mesmo aos doentes, saúdo-vos desde aqui, com todo o coração”, observou Francisco, antes da bênção final. “Vocês estão a uma distância prudente, como se deve fazer. Mas acontece que, sempre que eu desço, juntam-se todos e amontoam-se: é um problema porque há perigo de contágio. Deste modo, se cada um, com a máscara, mantiver as distâncias, podemos continuar com as audiências”, acrescentou. Francisco, que desde o início do seu pontificado dedica grande parte do tempo a saudar os fiéis e peregrinos que participam nas celebrações a que preside, concluiu desta vez com um desabafo: “Desculpai-me se hoje vos saúdo de longe, mas creio que se todos, como bons cidadãos, respeitarem as prescrições das autoridades, será uma ajuda para pôr fim a esta pandemia".

Nesta audiência de dia 14 de outubro, o Papa saudou ainda as monjas trapistas de Vitorchiano, de partida para Palaçoulo, no concelho de Miranda do Douro. É ali, no lugar do Alacão, que está a ser edificado o Mosteiro Trapista de Santa Maria Mãe da Igreja, para 40 Monjas, e que será orientado para a contemplação e culto divino e segundo a regra de São Bento. “Saúdo as monjas trapistas de Vitorchiano, de partida para Portugal. Corajosas, vão fundar um mosteiro em Portugal”, disse Francisco, no final da audiência pública semanal.

 

2. O Papa pediu uma maior participação feminina nas instituições de responsabilidade da Igreja. “Rezemos para que os fiéis laicos, especialmente as mulheres, participem mais nas instituições de responsabilidade da Igreja”, pediu Francisco, após a oração do Angelus dominical, no dia 11 de outubro, recordando que nenhum ser humano é batizado “como sacerdote ou como bispo”, mas como “laico ou laica”, e que estes são os verdadeiros “protagonistas da Igreja”. “Hoje temos necessidade de fomentar a presença feminina na Igreja e a presença laica na Igreja, sublinhando a presença das mulheres, que com frequência são deixadas de lado”, salientou. Segundo o Papa, “há que fomentar a presença de mulheres nos lugares em que se tomam as decisões importantes” e a sua participação “nas instituições de responsabilidade da Igreja”.

Neste encontro com os fiéis reunidos na Praça de São Pedro, no Vaticano, Francisco expressou ainda a sua solidariedade para com as vítimas dos incêndios. “Quero expressar a minha proximidade às populações afetadas pelos incêndios que devastam diversas regiões do mundo, assim como aos voluntários e bombeiros que arriscam as suas vidas para extinguir as chamas. Penso na costa ocidental dos Estados Unidos, particularmente na Califórnia, e penso também nas regiões centrais da América do Sul, no Paraguai e na Argentina. Diversos incêndios são causados pela seca persistente, mas muitos outros são provocados pelo homem. Que o Senhor apoie os que sofrem as consequências destas catástrofes e nos ajude a estar atentos à preservação da criação”, concluiu.

 

3. O Papa Francisco defendeu a necessidade de agir com “urgência” para evitar “mudanças climáticas radicais e catastróficas”, ao intervir numa conferência global online dedicada ao tema. A palestra integrou a ‘Countdown’, iniciativa que visa “acelerar soluções” para as alterações climáticas, com mais de 50 oradores – ativistas, líderes religiosos e políticos, artistas, cientistas e empresários –, com Francisco a sublinhar o momento “histórico” vivido pela humanidade. “A escolha entre continuar a ignorar o sofrimento dos mais pobres e maltratar a nossa casa comum, a Terra, ou comprometer-se a todos os níveis para transformar a maneira como agimos”, precisou, numa mensagem vídeo.

A intervenção recordou a encíclica ‘Laudato si’’, publicada em 2015, e deixou três propostas para superar a atual crise climática: “uma educação ao cuidado da casa comum”; “colocar a ênfase na água e na nutrição”; e “a transição energética”, para uma “substituição gradual, mas imediata, dos combustíveis fósseis por fontes de energia limpa”.

 

4. Carlo Acutis, jovem italiano devoto de Fátima, que morreu de leucemia, aos 15 anos, em 2006, foi beatificado no dia 10 de outubro, numa celebração que teve lugar na Basílica superior de São Francisco, em Assis. Considerado pelos fiéis como o ‘padroeiro da internet’, o adolescente que usou a internet para difundir a mensagem de Jesus Cristo foi beatificado graças a um milagre registado no Brasil, com a cura de uma criança que tocou numa relíquia do adolescente italiano.

No arranque da cerimónia, já na presença dos pais, Andrea e Antonia, e dos dois irmãos do jovem, foi lida uma breve biografia do novo beato. Depois, o cardeal-vigário do Papa para a Diocese de Roma, D. Agostino Vallini, que presidiu à Missa, leu a carta do Papa Francisco com a fórmula de beatificação. “Concedemos que o Venerável Servo de Deus Carlo Acutis, leigo, que, com o entusiasmo da juventude, cultivou amizade com o Senhor Jesus, colocando a Eucaristia e o testemunho da caridade no centro da própria vida, a partir de agora seja chamado Beato e que seja celebrado todos os anos nos locais e de acordo com as regras estabelecidas pelo direito, em 12 de outubro, dia de seu nascimento ao céu”, referiu. Já na homilia, o cardeal Vallini questionou: “O que havia de especial nesse jovem de apenas 15 anos? Ele tinha o dom de atrair e era visto como exemplo. Desde criança, sentia a necessidade da fé e tinha o olhar voltado para Jesus”.

Quando foi diagnosticado com leucemia, Carlo Acutis, que visitou Lisboa e o Santuário de Fátima, decidiu oferecer seus sofrimentos pelo Papa e pela Igreja.

 

5. Neste mês missionário, o Papa assinala que os leigos e leigas são os verdadeiros protagonistas do anúncio do Evangelho e pede que, especialmente as mulheres, participem das instâncias de responsabilidade na Igreja. Na edição de outubro de ‘O Vídeo do Papa’, Francisco diz que é fundamental que as mulheres tenham uma presença mais relevante na Igreja, considerando que muitas vezes são colocadas de parte.

Aura Miguel, jornalista da Renascença, à conversa com Diogo Paiva Brandão
A OPINIÃO DE
Guilherme d'Oliveira Martins
Acaba de ser publicada a declaração “Dignitas Infinita” sobre a Dignidade Humana, elaborada...
ver [+]

Tony Neves
Há fins de semana inspirados. Sábado fiz de guia a dois locais que me marcam cada vez que lá vou. A...
ver [+]

P. Gonçalo Portocarrero de Almada
Conta-nos São João que, junto à Cruz de Jesus, estava Maria, a Mãe de Cristo, que, nesse momento, foi...
ver [+]

Pedro Vaz Patto
Foi muito bem acolhida, pela generalidade da chamada “opinião pública”, a notícia de que...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
EDIÇÕES ANTERIORES