Especiais |
Centenário do Movimento Apostólico de Schoenstatt
Schoenstatt na visão da Juventude
<<
1/
>>
Imagem

Tudo começou no dia 18 de outubro de 1914, no vale de Schoenstatt, na Alemanha, através da inspiração do Padre Joseph Kentenich. Nesse dia, o sacerdote Palotino e um grupo de seminaristas decidiram entregar as suas vidas à Mãe Três Vezes Admirável (MTA) e pedir-lhe que se estabelecesse numa pequena capela que tinham escolhido para ser o seu Santuário.

 

Esse ato foi mais tarde chamado de Aliança de Amor e constitui o centro da espiritualidade e da vivência Schoenstattiana. Esta Aliança é uma consagração a Nossa Senhora onde cada um se oferece à Virgem Maria para ser seu instrumento no dia-a-dia e participar da sua missão no Mundo. Em troca, a MTA assume a maternidade da nossa educação e transforma-se na grande Educadora dos seus instrumentos no caminho da santificação.

Durante a sua expansão, a originalidade da Aliança de Amor, revelou ser válida para os leigos que rapidamente se tornaram na força central do Movimento. O trabalho pedagógico do Padre Kentenich foi particularmente relevante para os jovens que hoje são uma grande força do movimento através da criação de novos projetos e da participação ativa na Igreja.

Nos dias de hoje, cerca de 800 jovens têm uma vivência ativa e regular em torno do Santuário de Lisboa. Estes jovens têm cada vez mais importância a nível internacional no Movimento tendo já liderado alguns encontros. O próprio Padre Kentenich desafiou a juventude portuguesa a ser “Porta da Europa” para trazer a abundância de força na fé dos países latino-americanos para uma Europa a perder os seus ideais e valores. Este apelo do Fundador une toda a juventude portuguesa num só sentido e ideal: evangelizar Portugal e a Europa. A juventude está estruturada em quatro escalões segundo a idade e dividida entre os ramos feminino e masculino. Esta divisão tem o intuito de permitir aos jovens o aprofundamento maior dos temas e faz com a partilha de experiências se torne mais proveitosa e fluente.

Os jovens juntam-se em pequenos grupos (Grupos de vida) nos quais têm encontros semanais orientados por um elemento mais velho, que guia a sua formação e crescimento espiritual (Dirigente). Existem, paralelamente, encontros de todos os grupos de vida por escalões etários em formato de retiro, missão ou peregrinação. Os grupos de vida seguem um caminho muito único mas que, com o tempo, tende a versar temáticas semelhantes relacionadas com as suas experiências, o aprofundar da espiritualidade Schoenstattiana, temas da atualidade católica e outros.

Apesar de a estrutura ser dividida, estes acabam por se juntarem em variadíssimas atividades e projetos. À sombra do Santuário foram crescendo projetos desde a Missão País, o Eu Acredito, Erasmus com Ela, Peregrinações, entre outros, até projetos de um maior cariz social como a Escolinha da Galiza, Guiné Missão e Bairro 6 de Maio. Aqui a junção de toda a juventude faz com que os projetos fiquem com uma maior riqueza e facilidade de execução.

 

_______________


Movimento Apostólico de Schoenstatt

O Padre Kentenich quis desde cedo que os Schoenstattianos se formassem como “personalidades firmes, livres e apostólicas” numa altura em que a Europa era ameaçada pela guerra e a visão mecanizada da sociedade caminhava para a destruição do homem. Nos dias de hoje, esse discurso continua atual. O Movimento de Schoenstatt pode ser vivido segundo vários graus de envolvimento e compromisso desde ocasionais peregrinos que visitam os Santuários, membros da juventude, namorados, noivos, casados, até pessoas consagradas como Senhoras, Irmãs e Padres. Na juventude existem exemplos de pessoas que descobrem a sua fé nalgum projeto, que formam um grupo de vida e passado um tempo são estes a dirigir um grupo de mais novos e assim a forte participação no movimento é uma forma natural na vida de um Schoenstattiano.

 

_______________


Os 100 anos e Audiência com o Papa

O Movimento Apostólico de Schoenstatt cumpre este ano 100 anos de existência e houve festejos em Schoenstatt e em Roma. O centenário foi festejado em Schoenstatt, Alemanha, no Santuário Original. Nestes festejos, no primeiro Santuário de 200 já existentes por todo o Mundo, o principal foco foi a Cultura de Aliança que passado 100 anos se mantêm com a mesma firmeza e ideal. Foi principalmente um encontro multicultural de 15 mil Schoenstattianos de todos os cantos do Mundo onde foi possível partilhar e conhecer a vivência do Movimento em cada um desses países. Na conclusão do centenário refletimos sobre o que deveríamos fazer nos próximos 100 anos e o que poderemos oferecer a Igreja e ao Mundo com esta Aliança à MTA.

No seguimento dos festejos do centenário, a Família de Schoenstatt foi recebida por Sua Santidade, o Papa Francisco, em Roma, no dia 25 de outubro. O Papa respondeu a algumas perguntas e desafiou ainda o Movimento a ser testemunha de santidade no dia-a-dia. No fim da audiência, quando questionado sobre o segredo de sua alegria, o Papa revelou que tinha na sua mesa-de-cabeceira a imagem da Mãe Três Vezes Admirável de Schoenstatt, oferecida por um amigo, à qual reza sempre que acorda.


texto por Gonçalo Oom Alves Cardoso, Afonso Corte-Real e Guilherme Ribeiro Pereira, jovens do Movimento Apostólico de Schoenstatt

A OPINIÃO DE
P. Gonçalo Portocarrero de Almada
O que caracteriza o casamento não é o amor – que é também comum a outras relações humanas –...
ver [+]

Guilherme d'Oliveira Martins
Acaba de ser publicada a declaração “Dignitas Infinita” sobre a Dignidade Humana, elaborada...
ver [+]

Tony Neves
Há fins de semana inspirados. Sábado fiz de guia a dois locais que me marcam cada vez que lá vou. A...
ver [+]

P. Gonçalo Portocarrero de Almada
Conta-nos São João que, junto à Cruz de Jesus, estava Maria, a Mãe de Cristo, que, nesse momento, foi...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
EDIÇÕES ANTERIORES