Missão |
Programa D. Bosco Projeto Vida
A missão salesiana, com os jovens e para os jovens
<<
1/
>>
Imagem

Na edição de hoje vamos conhecer o Programa Dom Bosco Projeto Vida, promovido pelos Salesianos e coordenado pela Fundação Salesianos, Organização Não Governamental para o Desenvolvimento católica, sediada no Patriarcado de Lisboa, que desenvolve voluntariado missionário internacional, desde 2007.

 

O Programa Dom Bosco Projeto Vida

“Quando parti em missão quis entregar-me sobretudo como exemplo de fé. Como voluntária salesiana ia transmitir a mensagem de um Deus de amor e de perdão, através do "método da alegria" de Dom Bosco. Procurei voltar a ver o mundo como “uma criança que dá a mão a Jesus para caminhar com Ele". Foi com esta disponibilidade e abertura que Madalena Potes partiu para Cabo Verde, integrada no Programa Dom Bosco Projeto Vida. Depois de se ter candidatado para fazer voluntariado missionário, foi selecionada pela Fundação. Era o início do caminho. Durante um ano participou num programa de formação, de forma a tornar-se apta para o serviço que iria prestar em Cabo Verde. A Fundação Salesianos tem um particular cuidado na preparação dos seus voluntários, “desenvolvendo neles a capacidade de colaboração e diálogo com outras culturas, religiões e grupos humanos que vivem em condições de extrema pobreza ou pertencem a minorias étnicas. No entanto, para além deste foco na pessoa que está longe, é também objetivo deste programa, que este caminho seja de crescimento pessoal e na fé do próprio voluntário missionário”, conta-nos o Pe. Aníbal Mendonça, vice-presidente da Fundação.

 

Um projeto de vida, à luz do carisma de Dom Bosco

O Programa D. Bosco Projeto Vida assenta na pedagogia salesiana, desenvolvida por D. Bosco, fundador dos Salesianos, que criou um sistema de educação inovador, baseado em três pilares: Razão, Religião e Amorevolezza, que pode ser entendida como carinho e “saber cuidar”. “Para Dom Bosco uma obra salesiana deve ter quatro dimensões: Casa que acolhe, Paróquia que evangeliza, Escola que encaminha para a vida e Pátio para se encontrar com amigos e viver com alegria. As ações de missão são, por isso, parte de um projeto maior, um verdadeiro projeto de vida não apenas para os jovens dos destinos de missão, mas também para os jovens que partem nesta caminhada de verdadeiro crescimento espiritual e humano. Uma missão com os jovens e para os jovens”, afirma o Pe. Aníbal Mendonça.

Os voluntários são chamados a desenvolver diferentes ações. Podem envolver-se em atividades ocupacionais, educativas e evangelizadoras, da formação de animadores, catequistas e professores ou de promoção da saúde. Mas, no fim, o que importa é que tenham feito caminho com Jesus. “Se pudesse voltar, não voltaria a dizer que ia lá ajudar, dizia antes obrigada, lá e com eles e com a família que viveu comigo aprendi o que é a vida, segui Dom Bosco e encontrei Deus”, afirma a voluntária Ana Fonseca, depois de um mês vivido em Cabo Verde.

Natália Pita esteve em Moçambique e afirma que “senti, em variados momentos, que estava onde D. Bosco também estaria: cresci como educadora salesiana. Senti na pele, que a melhor forma de formar crianças e jovens é educar com o coração, fazer que eles se sintam amados e aceites, tal como eles são. A melhor forma de corrigir é ‘com carinho e amor’. Se os conquistarmos, ganharmos a sua confiança e respeito, teremos o caminho feito para lhes transmitirmos tudo o resto: gosto pelo estudo, pelo trabalho, em aceitar e cumprir as regras sociais… E a verdade é que este método resulta mesmo!”.

Durante o verão de 2014, estarão em missão seis grupos de voluntários salesianos. Cinco destes grupos partirão para Cabo Verde e um para Moçambique, num total de 64 jovens.

 

A missão a partir de Portugal

“Além do voluntariado internacional, o Programa Dom Bosco Projeto Vida tem atualmente a decorrer um programa de apadrinhamento individual ou em grupo, para pessoas que se disponham a apoiar economicamente crianças e jovens carenciados dos ambientes e lares de acolhimento salesianos dos países lusófonos e de Portugal. A ligação deste programa com as comunidades missionárias salesianas permite também organizar e desenvolver projetos e iniciativas que respondam a necessidades imediatas ou a projetos de largos horizontes, como por exemplo, a angariação de fundos para apoio à formação de jovens salesianos e estudantes em países lusófonos, através de bolsas de estudo e construções de habitações, desenvolvimento de rádios comunitárias católicas, ou mesmo a angariação de fundos para alimentação de alunos carenciados de forma a potencial o seu desenvolvimento humano e educativo”, conta-nos o Pe. Aníbal.

Ana Freitas, voluntária salesiana em Angola durante 18 meses, afirma: “Lançámos sementes nas vidas uns dos outros… irão germinar? Quem sabe, até florir? Com toda a fé que em mim carrego, desejo que sim!”.

texto por Ana Patrícia Fonseca, FEC – Fundação Fé e Cooperação
A OPINIÃO DE
Guilherme d'Oliveira Martins
Se há exemplo de ativismo cívico e religioso e para o impulso permanente em prol da solidariedade, da...
ver [+]

Pedro Vaz Patto
Há temáticas sobre que tem falado o Papa Francisco de forma recorrente e que são da maior relevância, mas nem sempre têm o eco que seria devido.
ver [+]

Tony Neves
O Dia Mundial da Criança comemora-se a 1 de junho, em diversos países, incluindo Portugal, Angola, Moçambique…...
ver [+]

P. Gonçalo Portocarrero de Almada
O que caracteriza o casamento não é o amor – que é também comum a outras relações humanas –...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
EDIÇÕES ANTERIORES