Especiais |
Visita do Papa Francisco ao Brasil
“A juventude é a janela pela qual o futuro entra no mundo”
<<
1/
>>
Imagem
Palavras simples. Gestos significativos. Simplicidade no contacto com as multidões. Assim foram os primeiros três dias do Papa Francisco no Brasil. Até este Domingo, a visita prossegue com a Jornada Mundial da Juventude.

 

“Quis Deus na sua amorosa providência que a primeira viagem internacional do meu Pontificado me consentisse voltar à amada América Latina, precisamente ao Brasil, nação que se gloria de seus sólidos laços com a Sé Apostólica e dos profundos sentimentos de fé e amizade que sempre a uniram de modo singular ao Sucessor de Pedro. Dou graças a Deus pela sua benignidade”. Foi desta forma que o Papa Francisco iniciou o seu discurso na cerimónia de boas-vindas, na chegada ao Brasil. Na segunda-feira, dia 22 de julho, no Jardim do Palácio Guanabara do Rio de Janeiro, e perante a presidente do Brasil, Dilma Rousseff, o Papa sublinhou desde logo o motivo da sua viagem a terras brasileiras: “Não tenho ouro nem prata, mas trago o que de mais precioso me foi dado: Jesus Cristo! Venho em seu Nome, para alimentar a chama de amor fraterno que arde em cada coração; e desejo que chegue a todos e a cada um a minha saudação: ‘A paz de Cristo esteja com vocês!’”.

Os jovens estiveram muito presentes na primeira intervenção do Papa, no Rio. “Vim para a Jornada Mundial da Juventude. Vim para encontrar os jovens que vieram de todo o mundo, atraídos pelos braços abertos do Cristo Redentor. Eles querem agasalhar-se no seu abraço para, junto de seu Coração, ouvir de novo o seu potente e claro chamamento: ‘Ide e fazei discípulos entre todas as nações’”, sublinhou o Papa, aludindo ao tema da JMJ Rio’2013. “Estes jovens provêm dos diversos continentes, falam línguas diferentes, são portadores de variegadas culturas e, todavia, em Cristo encontram as respostas para as suas mais altas e comuns aspirações e podem saciar a fome de verdade límpida e de amor autêntico que os irmanem para além de toda diversidade. Ide para além das fronteiras do que é humanamente possível e criem um mundo de irmãos”, acrescentou, garantindo: “A juventude é a janela pela qual o futuro entra no mundo”.

 

Primeiras multidões

O Papa chegou ao Brasil por volta das 19h45 (hora de Portugal Continental) de segunda-feira. Francisco foi recebido na pista da base aérea do Galeão pela presidente brasileira Dilma Rousseff. Trocaram cumprimentos e algumas palavras de ocasião, por entre sorrisos, num clima descontraído e de boa disposição. “Papa Francisco, cadê você? Eu vim aqui só para te ver”, cantaram as centenas jovens que esperaram o Santo Padre no aeroporto do Rio de Janeiro. As imagens televisivas mostraram milhares de pessoas no exterior da base área do Galeão, no Rio de Janeiro, para saudar o Papa. Francisco seguiu então num automóvel citadino, de janela aberta, para a sede do Governo do Rio. Durante o percurso, a viatura parou por várias ocasiões e foi rodeada por milhares de fiéis, que aproveitaram a oportunidade para saudar o Papa de muito perto. Nesta primeira deslocação até à sede do Governo do Rio, o Palácio Guanabara, Francisco fez uma pequena escala, para seguir viagem num papamóvel aberto e depois de helicóptero, que aterrou no relvado do estádio do Fluminense. Já no Palácio Guanabara, o Papa Francisco e a presidente Dilma Rousseff ouviram os hinos do Vaticano e do Brasil, após o qual a presidente brasileira propôs uma aliança com a Igreja para combater as desigualdades e para difundir iniciativas contra a pobreza, que já tiveram resultados positivos no Brasil.

 

Confiantes e alegres

Depois do descanso no dia de terça-feira, o Papa retomou a agenda da viagem na quarta-feira, dia 24, com a visita ao Santuário de Nossa Senhora da Aparecida, onde celebrou a Eucaristia. “Queridos amigos, viemos bater à porta da casa de Maria. Ela abriu-nos, fez-nos entrar e nos aponta o seu Filho. Agora Ela pede-nos: «Fazei o que Ele vos disser» (Jo 2,5). Sim, Mãe nossa, comprometemo-nos a fazer o que Jesus nos disser! E o faremos com esperança, confiantes nas surpresas de Deus e cheios de alegria”.

 

_________________


Portugueses oferecem Fátima ao Rio

Um grupo de peregrinos portugueses que participa na Jornada Mundial da Juventude (JMJ) entregou ao Santuário de Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, uma imagem de Nossa Senhora de Fátima. O grupo subiu até ao cume do monte do Pão de Açúcar para agradecer o acolhimento que a cidade está a proporcionar aos participantes na JMJ e o “apoio” da comunidade portuguesa local aos jovens de Portugal. Na homilia da Missa, o diretor do Departamento Nacional da Pastoral Juvenil (DNPJ), padre Eduardo Novo, referiu que a oferta que o grupo fez em nome de Portugal é um “marco na história”, colocando no santuário do Rio de Janeiro a “mensagem que Maria projeta para o mundo”. Diante da imagem de Cristo Redentor, a abraçar a cidade do Rio de janeiro, este sacerdote afirmou a necessidade de “paz e esperança”, a partilhar “uns com os outros” e com “todo o povo” do Brasil.

A imagem de Nossa Senhora de Fátima entregue ao Santuário de Cristo Redentor partiu “diretamente” do Santuário de Fátima para o Brasil, revelou o DNPJ.

 

_________________


Papa pede aos jornalistas para colaborarem “para o bem”

Durante a viagem entre Roma e o Brasil, o Papa Francisco encontrou-se com os cerca de 70 jornalistas presentes no avião, explicando-lhes o sentido da visita a terras brasileiras. “Esta primeira viagem tem em vista encontrar os jovens, mas não isolados da sua vida; eu quereria encontrá-los precisamente no tecido social, em sociedade. Porque, quando isolamos os jovens, praticamos uma injustiça: despojamo-los da sua pertença. Os jovens têm uma pertença: pertença a uma família, a uma pátria, a uma cultura, a uma fé… Eles têm uma pertença, e não devemos isolá-los! Sobretudo não devemos isolá-los inteiramente da sociedade! Eles são verdadeiramente o futuro de um povo!”, referiu o Papa, enaltecendo também o papel dos mais velhos: “Mas também, no outro extremo da vida, os idosos são o futuro de um povo. Um povo tem futuro se vai em frente com ambos os pontos: com os jovens, com a força, porque o levam para diante; e com os idosos, porque são eles que oferecem a sabedoria da vida”.

Francisco encontrou-se depois, individualmente, com cada um dos jornalistas vaticanistas presentes no avião, entre os quais a jornalista portuguesa Aura Miguel, da Rádio Renascença. No final, o Papa deixou um pedido em tom de desafio, aos vaticanistas: “Agradeço-lhes de verdade e peço-lhes para ajudar-me e colaborar, nesta viagem, para o bem, para o bem; o bem da sociedade: o bem dos jovens e o bem dos idosos; ambos juntos, não o esqueçam!”. 

 

_________________


Papa agradece no Twitter

O Papa Francisco agradeceu, através da sua conta no Twitter (em www.twitter.com/Pontifex_pt‎), a receção no Rio de Janeiro. “Obrigado! Obrigado! Obrigado a vocês todos e a todas as autoridades pelo magnífico acolhimento em terras cariocas!”, escreveu. Antes o Papa tinha lembrado: “Hoje começamos uma semana maravilhosa no Rio. Que seja uma ocasião para aprofundar a nossa amizade com Jesus Cristo”. No segundo dia em terras brasileiras, Francisco lembrou o tema da JMJ. “Queridos jovens, Cristo tem confiança em vocês e lhes confia sua própria missão: ‘Ide, fazei discípulos’”, referiu o Papa.

 

_________________

 

“Um mundo novo é possível”

Na Missa de Abertura das JMJ, na Praia de Copacabana, presidida pelo Arcebispo do Rio de Janeiro, D. João Orani Tempesta, cerca de 400 mil jovens participaram na celebração, à chuva. “Celebro por todos aqueles que acreditam que um mundo novo é possível”, salientou o arcebispo brasileiro, na terça-feira.

Após várias horas de apresentações artísticas, música e momentos de oração, a celebração eucarística foi antecedida pela chegada ao palco de Copacabana dos símbolos da JMJ, a cruz peregrina e o ícone da Virgem Maria que estavam no Brasil desde setembro de 2011 e passaram por 250 dioceses de todos os estados do país.

 

_________________


JMJ: momentos de festa até Domingo

Até este Domingo, dia 28, a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) prosseguiu no Rio de Janeiro. Na quinta-feira, 25 de julho, o Papa iria receber as chaves da cidade, visitar a comunidade de Varginha em Manguinhos e estar presente na festa de acolhimento dos jovens na Praia de Copacabana, no Rio de Janeiro. Sexta-feira era esperado que Francisco confessasse alguns jovens da JMJ, no Parque Municipal da Quinta da Boa Vista, saudasse o Comité Organizador da XXVIII Jornada Mundial da Juventude e almoçasse com 12 jovens de todo o mundo, representantes de todos os continentes. À tarde o Papa iria presidir à Via-Sacra com os jovens, na Praia de Copacabana. Sábado, 27 de julho, haveria Santa Missa com os Bispos da JMJ, sacerdotes e seminaristas, na Catedral de São Sebastião, o encontro com a Classe Dirigente do Brasil, no Teatro Municipal, e almoço com os Cardeais do Brasil, a Presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, os Bispos da Região e a Comitiva Papal, bem como a vigília de oração com os jovens, no Campus Fidei, em Guaratiba. Este Domingo, último dia da JMJ, o ponto alto é a Santa Missa pela XXVIII Jornada Mundial da Juventude, no Campus Fidei, em Guaratiba. A chegada a Roma do Papa Francisco está prevista para a manhã desta segunda-feira.

texto por Diogo Paiva Brandão; fotos por Siciliani-Gennari/SIR
A OPINIÃO DE
Guilherme d'Oliveira Martins
Acaba de ser publicada a declaração “Dignitas Infinita” sobre a Dignidade Humana, elaborada...
ver [+]

Tony Neves
Há fins de semana inspirados. Sábado fiz de guia a dois locais que me marcam cada vez que lá vou. A...
ver [+]

P. Gonçalo Portocarrero de Almada
Conta-nos São João que, junto à Cruz de Jesus, estava Maria, a Mãe de Cristo, que, nesse momento, foi...
ver [+]

Pedro Vaz Patto
Foi muito bem acolhida, pela generalidade da chamada “opinião pública”, a notícia de que...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
EDIÇÕES ANTERIORES