Especiais |
Jornada Mundial da Juventude
O mesmo Cristo
<<
1/
>>
Imagem

Partiu no dia 16 de Julho um grupo de 44 jovens da Diocese de Lisboa, acompanhados por D. Nuno Brás, Bispo Auxiliar da nossa Diocese, rumo à Jornada Mundial da Juventude (JMJ) que terá lugar na cidade de Rio de Janeiro, de 22 a 29 de Julho.

 

Inicialmente irão para a cidade de Teresópolis, Diocese de Petrópolis, no Estado do Rio de Janeiro, onde vão viver uma Semana Missionária, de 16 a 22 de Julho. Nesta semana, os jovens são chamados a uma disponibilidade de serviço – experimentam ser acolhidos pela paróquia, dormir em casas de famílias, trabalhar, repousar e comer ao ritmo de outros, e abraçar as propostas de vida cristã que lhes forem apresentadas. É um desafio de entrega, sem condicionalismos, que apela à abertura de coração e à simplicidade: dar o que se é, receber para ser mais.

Os meios de comunicação, nestes dias que são os nossos, têm permitido uma proximidade permanente entre os jovens que recebem e os que são recebidos. Trocamos fotografias, combinamos pormenores de acolhimento, esperamo-nos com enorme expectativa.

Os jovens daquela paróquia de Teresópolis têm sido incansáveis na preparação destes dias – atentos aos pormenores das necessidades de cada jovem que vão acolher, têm sido inexcedíveis no encontrar solução para os diversos desafios – necessidades de alojamento especial, garantir transporte do aeroporto para a paróquia e depois para a jornada e sobretudo sempre com uma palavra de muito carinho.

A Semana Missionária é repleta de sentido. Há um dia reservado à cultura – partilhar o povo a que pertencemos –, um dia da espiritualidade – partilhar o amor de Cristo –, um dia da missão – anunciar o Amor que nos move e quiçá receber cem vezes mais –, e o dia do Senhor (Domingo) – partilhar a realidade diocesana. Os jovens de Lisboa são mesmo esperados com amor. Sente-se.

 

Após Teresópolis, Rio!

Assim já tão enriquecidos, partimos no dia 22 para o Rio de Janeiro, para o Santuário de Nossa Senhora do Loreto, onde reencontraremos os 21 jovens da Diocese de Lisboa que começam nesse momento a sua experiência de JMJ. A semana da JMJ parece sempre muito grande mas os dias passam num ápice e o coração parece um disco rígido, a absorver informação para ao longo da vida viver. E sempre a expectativa de um encontro profundo com o Senhor, sem hora marcada, quando Ele quiser, sempre.

Se a segunda-feira, dia 22, é um dia de caminho e de realojamento, porque a JMJ é feita de permanente caminho e desinstalação, na terça-feira, dia 23 de Julho, será o primeiro grande encontro da Igreja, com a Missa de acolhimento de todos os jovens pelo Bispo da diocese – D. Orani Tempesta. É o primeiro grande momento em que os jovens vivenciam como a Igreja é bela, tão diversa e tão única: o mesmo Cristo cabeça de tantas igrejas locais, casa de tantas raças e sentires. Depois, ao longo de toda a semana, todas as manhãs entraremos no coração de Deus – ouvindo o ensinamento de um Bispo, celebrando a fé, com os irmãos que nos forem dados naquele dia. Durante a tarde e noite, diremos as razões da nossa esperança em momentos de oração, de reconciliação, de festa, de cultura.

E chega a quinta-feira, 25 de Julho – dia em que começa na Jornada um novo ritmo – o Papa chega à JMJ. É acolhido na praia de Copacabana pelo Bispo da Diocese do Rio de Janeiro acompanhado por todos os bispos que ao longo da semana ajudaram os jovens nesta descoberta de Cristo e da sua Igreja e por todos os jovens que do mundo inteiro rumaram ao Rio.

O ritmo da JMJ adensa-se na sexta-feira com a via-sacra em Copacabana, acompanhando o Senhor Jesus no mistério derradeiro da sua entrega – prepara-se assim o espírito para a grande caminhada que leva cada jovem à vigília de sábado e à Eucaristia de Domingo em Campus Fidei.

A Igreja, que se encontra na quinta- feira como no cenáculo há 2000 anos, acompanha o Senhor Jesus no mistério da sua morte na sexta-feira, para, no sábado após 13 km de caminhada até Campus Fidei (local da JMJ), simbolizando a caminhada que é a vida de cada jovem, vigiar até à Ressureição. E no Domingo cantará ao mundo inteiro – alegrai-vos, anunciamos-vos uma grande alegria que o é para todos nós – Aleluia, Cristo Ressuscitou! Está vivo, está aqui! Vem e vê. Não há motivo de tristeza, em tudo com Cristo somos sempre vencedores. É de uma beleza e de uma simplicidade impressionante esta alegria dita por Cristo ao mundo inteiro, no rosto de cada jovem que ali está.

Como nos lembrava na preparação o nosso Patriarca D. Manuel, o Cristo que encontraremos no Rio de Janeiro é o mesmo Cristo que encontramos em Lisboa. Esta é a grande novidade de todos os encontros internacionais, Cristo é o mesmo. O desafio é conhecê-lo e dizê-lo todos os dias na nossa vida, em união com toda a Igreja, em Lisboa como no Rio.

 

_______________________


Oração Oficial da JMJ Rio 2013

Ó Pai, enviaste o Teu Filho Eterno para salvar o mundo e escolheste homens e mulheres para que, por Ele, com Ele e n’Ele, proclamassem a Boa Nova a todas as nações. Concede as graças necessárias para que brilhe no rosto de todos os jovens a alegria de serem, pela força do Espírito, os evangelizadores de que a Igreja precisa no Terceiro Milénio.

Ó Cristo, Redentor da humanidade, Tua imagem de braços abertos no alto do Corcovado acolhe todos os povos. Em Tua oferta pascal, nos conduziste pelo Espírito Santo ao encontro filial com o Pai. Os jovens, que se alimentam da Eucaristia, escutam-Te na Palavra e encontram-Te no irmão, necessitam da Tua infinita misericórdia para percorrer os caminhos do mundo como discípulos-missionários da nova evangelização.
Ó Espírito Santo, Amor do Pai e do Filho, com o esplendor da Tua Verdade e com o fogo do Teu Amor, envia a Tua Luz sobre todos os jovens para que, impulsionados pela Jornada Mundial da Juventude, levem aos quatro cantos do mundo a fé, a esperança e a caridade, tornando-se grandes construtores da cultura da vida e da paz e os protagonistas de um mundo novo.

Ámen!

texto pelo Serviço da Juventude do Patriarcado de Lisboa
A OPINIÃO DE
Guilherme d'Oliveira Martins
Acaba de ser publicada a declaração “Dignitas Infinita” sobre a Dignidade Humana, elaborada...
ver [+]

Tony Neves
Há fins de semana inspirados. Sábado fiz de guia a dois locais que me marcam cada vez que lá vou. A...
ver [+]

P. Gonçalo Portocarrero de Almada
Conta-nos São João que, junto à Cruz de Jesus, estava Maria, a Mãe de Cristo, que, nesse momento, foi...
ver [+]

Pedro Vaz Patto
Foi muito bem acolhida, pela generalidade da chamada “opinião pública”, a notícia de que...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
EDIÇÕES ANTERIORES