Especiais |
Cáritas de Lisboa divulga resultados do ‘Projeto Amigo’
Cristãos doaram 50 toneladas de roupa usada
<<
1/
>>
Imagem

São números que deixaram “muito satisfeitos” os responsáveis pelo ‘Projeto Amigo’, da Cáritas Diocesana de Lisboa: os cristãos da diocese doaram 50 toneladas de roupa usada na campanha de inverno deste projeto. A instalação de contentores nas paróquias é o passo seguinte do ‘Projeto Amigo’, que dá também emprego a dez pessoas.

 

Em plena Semana Cáritas, a Cáritas Diocesana de Lisboa apresentou ao Jornal VOZ DA VERDADE os resultados do ‘Projeto Amigo’, de recolha de roupa usada: “No passado mês de novembro tivemos a operação de recolha de roupa usada que correu muito bem! Recolhemos 50 toneladas de roupa e estiveram envolvidas 44 paróquias. Houve uma adesão maciça das paróquias da Diocese de Lisboa, que superou as expetativas”, revela o presidente da direção, José Frias Gomes.

Jorge Cruz, que está no ‘Projeto Amigo’ desde há cerca de um ano e tem coordenado toda a ação deste projeto, lembra que “o objetivo era fazer a recolha num único fim-de-semana [dias 17 e 18 de novembro], mas acabou-se por prolongar por vários, terminando uns dias antes do Natal”. Este responsável sublinha também que “no início estava prevista a adesão de cerca de 20 paróquias”, mas “aderiram perto de 50”. “Hoje, são 62 paróquias da Diocese de Lisboa que estão envolvidas no ‘Projeto Amigo’. Mesmo algumas que não têm condições para guardar a roupa, continuam com o vínculo e nós continuamos a fazer a recolha periódica – neste momento quinzenalmente”, aponta.

 

Usar ou reciclar?

A roupa recolhida pela Cáritas de Lisboa no âmbito do ‘Projeto Amigo’ é levada para um armazém central, onde é feita a seleção do vestuário que ainda pode ser aproveitado e a roupa que irá para reciclagem. “Este é um serviço que ajuda as paróquias na recolha de roupa. Toda a roupa que as paróquias necessitarem prioritariamente é-lhes entregue! As paróquias têm prioridade absoluta e tudo o que elas pedirem será entregue à porta de cada paróquia”, assegura o presidente da instituição.

A roupa recolhida que esteja em bom estado será também entregue às duas lojas sociais ‘É dado’ da Cáritas de Lisboa, em Carnide e na Ameixoeira. “A sensibilidade que me transmitem das nossas lojas é que há falta de roupa de homem. Todos sabemos que os homens utilizam a roupa mais até ao fim do que as senhoras… e o que é certo é que temos alguma carência de roupa de homem, neste momento”, observa José Frias Gomes.

A roupa que já não esteja em condições de ser usada é entregue a uma empresa italiana que fará a reciclagem da mesma e, em contrapartida, paga um valor pelas peças de vestuário. Segundo Frias Gomes, o parceiro italiano da Cáritas de Lisboa “ficou muito satisfeito” com o resultado da campanha de recolha de roupa. “O parceiro que temos é uma empresa italiana que já trabalha com as Cáritas de Nápoles e de Lecce. Os nossos responsáveis pelo projeto visitaram in loco as infraestruturas da empresa em Itália e portanto é um parceiro que de alguma forma, até pelas ligações que já trazia com as congéneres italianas, mereceu a nossa confiança”. O valor recebido pela Cáritas de Lisboa com a roupa reciclada “é integralmente encaminhado para o projeto ‘Igreja Solidária’, o fundo diocesano de emergência”, revela o presidente da Cáritas Diocesana de Lisboa.

 

Novos contentores

A nova fase do ‘Projeto Amigo’ prevê agora a chegada de contentores às paróquias. Os primeiros contentores – cujas dimensões são 2,20 m*1,15m*1,15m – devem chegar a Lisboa ainda neste mês de março. Estes novos contentores, com o logo da Cáritas Diocesana de Lisboa e a inscrição da frase ‘Doação de vestuário usado – Ajude a Fazer Bem, o Bem a quem mais precisa!’, visam resolver o problema de espaço de várias paróquias e também promover o potencial de captação do projeto. “Face aos contactos das paróquias, temos noção de quais as paróquias prioritárias a receberem os contentores. Iremos, naturalmente, privilegiar aquelas que estiveram mais de perto associadas nesta primeira fase de recolha em novembro passado”, adianta Jorge Cruz, esperando que esta inovação traga também um aumento das doações: “Com estes novos contentores, colocados pelo nosso parceiro, esperamos que a recolha de roupa usada passe a ser algo regular e mais intenso”.

 

Um projeto que dá emprego

Para cumprir o ‘Projeto Amigo’, a Cáritas de Lisboa teve de contratar pessoas que possam fazer a recolha, seleção, tratamento e arrumação da roupa doada. “Este projeto tem uma componente social importante. Neste momento, o ‘Projeto Amigo’ dá emprego a oito pessoas e quanto maior for a dimensão do projeto, tanto mais pessoas há-de colocar a trabalhar para ele. São sobretudo pessoas com uma condição social muito difícil, desempregadas, portanto esta é uma outra componente relevante”, refere Jorge Cruz.

O presidente da Cáritas de Lisboa acrescenta que esta empresa social deverá dar trabalho, numa primeira fase, a dez pessoas. “Queremos ajudar a que pessoas em situações difíceis, nomeadamente chefes de família e gente vinda da Comunidade Vida e Paz, possam encontrar neste projeto um meio de subsistência e um meio de alimentar as suas famílias! Isso é algo que para nós é também muito importante! Tudo o que este projeto possa dar em termos de dimensão, tem também essa importância social”, garante Frias Gomes.

 

Duas campanhas por ano

Mostrando-se satisfeita com o número crescente de paróquias do Patriarcado a aderir ao projeto, a Cáritas Diocesana de Lisboa desafia os cristãos a participarem na campanha de primavera: “O ‘Projeto Amigo’ não morreu com a campanha de novembro. Ele continua! Temos mais paróquias a aderir, mas ainda faltam muitas!”, refere Jorge Cruz, salientando ainda ao Jornal VOZ DA VERDADE que no protocolo com a empresa italiana – “que será assinado muito brevemente” – estão previstas duas campanhas anuais de recolha de roupa: “Teremos uma campanha semelhante à de novembro, para a recolha de roupa de inverno, e vamos também organizar uma campanha agora no mês de abril ou maio, para recolha de roupa de verão. Para nós, Cáritas de Lisboa, será muito importante que esta segunda campanha venha também a ser um sucesso”.

 

_______________


Cáritas de Lisboa agradece às paróquias

A Cáritas Diocesana de Lisboa manifestou o seu agradecimento às paróquias do Patriarcado que participaram na campanha de novembro do ‘Projeto Amigo’. Em carta enviada aos párocos, a que o Jornal VOZ DA VERDADE teve acesso, a instituição sublinha o apoio dos voluntários nesta campanha. “É com enorme satisfação que a Cáritas Diocesana de Lisboa se dirige ao Reverendíssimo Senhor, e por seu intermédio, a todos os paroquianos – àqueles que mais de perto participaram na organização e a todos aqueles, anónimos, que tão generosamente contribuíram com as suas doações – para formalmente agradecer a participação de vossa Paróquia na campanha de recolha de roupa efetuada no dia 18 de Novembro de 2012, a qual devido à grande adesão de que foi alvo, acabou por se prolongar por mais algum tempo”.

Nesta missiva, a Cáritas de Lisboa refere poder “seguramente afirmar que a campanha foi um êxito, tendo obtido a participação direta de cerca de 50 paróquias, e indireta, através das paróquias pré-selecionadas, de um número indeterminado de outras”. A carta enviada para as paróquias no início do mês de janeiro salienta ainda os números da campanha: “Cerca de 50 toneladas de roupa e de artigos diversos de indumentária entraram no armazém contratado para a campanha, num processo que nos apraz registar correu de forma eficiente, assente no respeito pelos compromissos assumidos e no espírito de entendimento e de colaboração que sempre recebemos de todas as paróquias”.

 

_______________


Igreja assinala o Dia Cáritas

‘Fé comprometida, cidadania ativa’ é o lema da Semana Nacional Cáritas, que culmina este Domingo, 3 de março, no Dia Cáritas. “Penso que o lema apela a uma forte sensibilização para a promoção da justiça, a qual se deve refletir ao nível das decisões individuais num quadro de serviço à comunidade. É um claro desafio à acomodação, instando-nos e apelando à desinstalação e a uma maior disponibilidade, para os outros, para o serviço, construindo Igreja”, salienta ao Jornal VOZ DA VERDADE o presidente da Cáritas Diocesana de Lisboa.

José Frias Gomes lembra que “não é por acaso que a Semana Cáritas decorre sempre na Quaresma”, o período litúrgico de preparação para a Páscoa. “Estas chamadas de atenção, como são o Dia Cáritas, são fundamentais, numa lógica de sensibilização para a nossa missão e como apelo forte a que as pessoas se preocupem com o seu semelhante”, refere o presidente da Cáritas de Lisboa.

texto e fotos por Diogo Paiva Brandão
A OPINIÃO DE
Tony Neves
O Gabão acolheu-me de braços e coração abertos, numa visita que foi estreia absoluta neste país da África central.
ver [+]

Pedro Vaz Patto
Impressiona como foi festejada a aprovação, por larga e transversal maioria de deputados e senadores,...
ver [+]

Guilherme d'Oliveira Martins
Há anos, Umberto Eco perguntava: o que faria Tomás de Aquino se vivesse nos dias de hoje? Aperceber-se-ia...
ver [+]

Pedro Vaz Patto
Já lá vai o tempo em que por muitos cantos das nossas cidades e vilas se viam bandeiras azuis e amarelas...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
EDIÇÕES ANTERIORES