Missão |
Eduardo Marques
Da Filosofia à Missão
<<
1/
>>
Imagem

Era quase Natal em 1966 quando, no seio de uma família cristã do Entroncamento, nasce Eduardo Marques, a 22 de Dezembro.

 

A família foi a responsável para que a fé se tornasse no seu fundamento espiritual de Encontro com Deus, consigo próprio e com os outros. A sua adolescência e juventude foram profundamente marcadas por sinais de uma maior consciência da necessidade construir um mundo mais digno, assente no amor cristão e na verdade. Já as vivências na pastoral da comunidade do Entroncamento contribuíram profundamente para a forma como a sua vocação cristã foi sendo descoberta: os grupos de jovens paroquiais, a descoberta do teatro como instrumento de mensagem cristã, a dinamização da pastoral juvenil, o compromisso com a missão transformadora, iluminada pelo Evangelho, e a preparação e participação no Congresso Nacional dos Leigos, vincaram o seu percurso na década de 80.

 

A Filosofia e a reflexão crítica

Em 1990, Eduardo conclui a licenciatura em Filosofia na Universidade Católica de Lisboa, enveredando para o ramo educacional do Ensino de Filosofia nessa mesma Universidade. Lecionou como professor estagiário nos Olivais, na Escola Eça de Queirós, e desde essa altura que tem a convicção de que a educação, o teatro, a arte e a cultura em geral são o espaço privilegiado para uma ação transformadora. Os anos 90 foram então o início de uma vida ligada à educação e à formação para os valores encarnados num olhar cristão, quer no contexto escolar (no Externato de Penafirme), quer em grupos ou movimentos cristãos. A missão de professor, conta-nos Eduardo, “através da lecionação de disciplinas como Filosofia e Ciência Política ou na dinamização de atividades de formação, permitiu criar espaços de reflexão crítica e de ação com jovens nas áreas da cidadania, da solidariedade ou da intervenção social.” Desde 2008 que participa na equipa da espiritualidade da Comunidade Vida e Paz, dinamizando encontros de formação de voluntários, colaboradores e com pessoas sem-abrigo ou pessoas com problemas de dependências. Em simultâneo, tem colaborado com a Capelania do Hospital da Estefânia na dinamização de retiros de espiritualidade, na preparação de temas ou palestras nas áreas da fé e na formação para os valores.

 

Missão: Mundo

Desde 2009, depois de uma experiência de missão em Moçambique (Manjacaze e Maxixe), integra o Grupo Missão Mundo (GMM), um grupo de leigos missionários da Congregação das Irmãs Concepcionistas ao Serviço dos Pobres, colaborando na organização de projetos nas áreas da educação e da saúde, na formação de voluntários missionários, num compromisso, mesmo à distância, com as comunidades mais desprotegidas onde as irmãs têm missões, nomeadamente os projetos: “Juntos na hi Funda” (Juntos aprendemos) - um projeto de educação e tempos livres para animação de mesas que alimentam cerca de 300 crianças em Manjacaze (Moçambique) – e o projeto “Mais conhecimento menos pobreza”, em Nacuxa e Manjacaze.

Estas vivências, no Grupo Missão Mundo e na Comunidade Vida e Paz, têm ajudado a aprofundar a consciência de Eduardo e da sua família, “de que somos demasiado humanos, mas que temos a responsabilidade de criar um mundo mais justo e mais digno. A nossa missão realiza-se na capacidade de integrar e não de excluir, de partilhar a mesa, de participar no sofrimento e nas alegrias dos outros e de assumir o ‘dar-se´ como caminho de conversão”.

texto por Vanessa Furtado, FEC – Fundação Fé e Cooperação
A OPINIÃO DE
Guilherme d'Oliveira Martins
Se há exemplo de ativismo cívico e religioso e para o impulso permanente em prol da solidariedade, da...
ver [+]

Pedro Vaz Patto
Há temáticas sobre que tem falado o Papa Francisco de forma recorrente e que são da maior relevância, mas nem sempre têm o eco que seria devido.
ver [+]

Tony Neves
O Dia Mundial da Criança comemora-se a 1 de junho, em diversos países, incluindo Portugal, Angola, Moçambique…...
ver [+]

P. Gonçalo Portocarrero de Almada
O que caracteriza o casamento não é o amor – que é também comum a outras relações humanas –...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
EDIÇÕES ANTERIORES