Igreja em movimento |
O movimento dos Cursilhos de Cristandade está em festa!
<<
1/
>>
Imagem

O Movimento dos Cursilhos de Cristandade nasceu na Diocese de Palma de Maiorca no ano de 1944, no seio da Acção Católica, e rapidamente se espalhou pelo Mundo inteiro, estando hoje presente nos 5 continentes através das suas 81 delegações nacionais.

Em Portugal, a grande aventura dos Cursilhos de Cristandade principiou no dia 7 de Outubro de 1960 na Igreja de S. Pedro em Alcântara onde se reuniu pela primeira vez a equipa de sacerdotes e de leigos vinda de Vitória (Espanha). O Primeiro Cursilho da Diocese de Lisboa, que foi também o 1º de Portugal, realizou-se por vontade do então Cardeal-Patriarca, D. Manuel Cerejeira, há 50 anos, em Fátima, de 30 de Novembro a 3 de Dezembro de 1960.

Antes do Cursilho, a equipa foi recebida pelo Cardeal-Patriarca que lhes disse que a Igreja de Portugal estava muito carente de homens loucos e enamorados por Jesus Cristo e que por isso via com muitos bons olhos a presença deles na Diocese de Lisboa, que lhes desejava os maiores êxitos apostólicos e que esperava que conseguissem “injectar” nos novos Cursilhistas a loucura por Jesus Cristo.

No final deste 1º Cursilho o Bispo de Leiria proferiu a seguinte frase, considerada por muitos como profética: “OBRA QUE COMEÇA EM FÁTIMA JAMAIS MORRERÁ”

Chamam-se Cursilhos (termo espanhol e diminutivo da palavra Curso), por ser uma experiência intensiva e vivencial num espaço de tempo curto, apenas 3 dias.

Os Cursilhos de Cristandade nada mais pretendem do que renovar cristãmente a sociedade, dito por outras palavras: reevangelizar os ambientes. Foi na expressão “Vertebrar Cristandade” que os fundadores encontraram a definição mais exacta da finalidade concreta e precisa do Movimento e por isso constituíram os ambientes como o seu principal alvo – Levar a força do Evangelho e a riqueza da salvação de Cristo aos locais onde se vive, se trabalha, se decide, se diverte, etc …

É por isto que a estratégia do Movimento assenta na selecção dos “Homens Vértebras” (homens e mulheres), nos mais diversos ambientes, feita por aqueles que já viveram um Cursilho e que pelo seu testemunho de vida levam a que essas vértebras se disponham a viver a mesma experiência de 3 dias para, depois duma conversão autêntica e progressiva, os reinserir no lugar donde saíram para aí serem o tal fermento transformador.

Os Cursilhos de Cristandade são um Movimento de Igreja, directamente dependente do seu bispo diocesano, que procuram de acordo com as suas orientações dar resposta ao Plano Pastoral Diocesano, dentro do seu campo específico.

Decorridos 50 anos, o Movimento dos Cursilhos de Cristandade mantêm o seu carisma fundacional, que vai ao encontro das palavras do Pastor da Igreja “… a prioridade pastoral de hoje é fazer de cada mulher e homem cristão uma presença irradiante da perspectiva evangélica no meio do mundo, na família, na cultura, na economia, na politica. “ (Bento XVI na Homilia em Lisboa, no Terreiro do Paço)

 

 

Testemunho

“Vivi o meu Cursilho há 25 anos, quando tinha cerca de 30 anos, já casado e pai de 2 filhos. Apesar de ter crescido no seio duma família cristã, foi nesses 3 dias que conheci um Cristo diferente, um Cristo vivo, que se identifica comigo, que me quer igual a Si, que na intimidade me deixa tratá-Lo por Tu, que me quer ao seu serviço e por quem me comprometi a seguir, apesar das minhas limitações.

Foi muito importante para mim entender, o que significava viver em Graça… viver De Colores como dizemos na nossa gíria. Percebi que é precisamente pela Graça que posso chegar a esse Cristo e é por esse Cristo que posso chegar ao Pai pelo caminho do amor, da amizade sincera e de fidelidade.

Depois do meu Cursilho fui ganhando consciência de que se Cristo me chamou a um Cursilho, foi porque se lembrou de mim. E se Cristo se lembrou de mim, foi porque fui escolhido. E se fui escolhido então tinha responsabilidades a assumir. E este sentimento de responsabilidade e de dádiva tem-me acompanhado ao longo destes 25 anos, razão pela qual vou procurando responder afirmativamente aos pedidos que me vão sendo feitos pela Igreja e pelo próprio Movimento e vou procurando ser testemunho desta amizade nos ambientes por onde passa a minha vida.

Aprendi também que para o cristão consciente existe uma só questão, o de aceitar e de ir assimilando ao longo da vida – com alegria e serenidade – a admirável grandeza de ser santo no séc. XXI. Ou seja, caminhando para Cristo e levando comigo outros a se arriscarem e a saborearem também esse caminho. De Colores! Se vive melhor!”

Carlos C P

 

 

9. OUT. 2010: ULTREIA PRESIDIDA PELO CARDEAL-PATRIARCA

- Início às 14h30m (acolhimento a partir das 13h30m), no Ginásio do Atlético Clube de Portugal, em Lisboa

- Eucaristia de acção de graças presidida pelo Cardeal-Patriarca, D. José Policarpo

- Romagem (Caminhada) desde o local da Ultreia até à Igreja de S. Pedro em Alcântara

 

 

Cursilhos de Cristandade

R. Nova de S. Mamede, 1, 1.º, 1250-172 Lisboa

Tel/Fax: 213880424

E-mail: mcc.lisboa@mail.telepac.pt

Assistente: Cónego Miguel Ponces de Carvalho

A OPINIÃO DE
Guilherme d'Oliveira Martins
Vivemos um tempo de grande angústia e incerteza. As guerras multiplicam-se e os sinais de intolerância são cada vez mais evidentes.
ver [+]

Pedro Vaz Patto
Jamais esquecerei a forte emoção que experimentei há alguns dias. Celebrávamos a missa exequial de...
ver [+]

P. Gonçalo Portocarrero de Almada
O último estertor da dissoluta Assembleia da República atenta gravemente contra a liberdade, a religião,...
ver [+]

Guilherme d'Oliveira Martins
Somos alertados pelo Papa Francisco na Mensagem do dia da Paz de 2024 para o facto de as máquinas inteligentes...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
EDIÇÕES ANTERIORES