Especiais |
Chiara Luce Badano: Um exemplo de santidade para os jovens do século XXI
<<
1/
>>
Imagem
Tinha apenas 19 anos quando morreu. Para trás deixa um legado de santidade. Falamos de Chiara Luce Badano (1971-1990), uma jovem do nosso tempo, pertencente ao Movimento dos Focolares e que vai ser beatificada este fim-de-semana, em Roma.

O convite a ter como objectivo a santidade, como caminho para a verdadeira felicidade, foi lançado pelo Papa Bento XVI aos jovens da Inglaterra e será também lançado aos jovens neste sábado, dia 25 de Setembro, no Santuário do Divino Amor, em Roma, antes da Missa de Beatificação de Chiara Luce Badano. Mas quem é Chiara Luce Badano? Uma jovem como qualquer outra, mas a quem foi diagnosticado um tumor ósseo quando tinha apenas 17 anos. “Esta rapariga de 19 anos que a Igreja propõe aos jovens como modelo, é realmente o espelho daquela felicidade que se encontra em Deus. Chiara Luce encontra-a paradoxalmente quando a dor é mais aguda, diante da morte acolhida por ela como uma festa de núpcias com o Esposo”, informa o Movimento dos Focolares.

Chiara Badano nasceu em Sassello, na Ligúria (Itália) na diocese de Acqui, a 29de Outubro de 1971, após 11 anos de espera de seus pais. Era sã, amava a natureza e o desporto, mas desde pequena que se distinguia porque amava os ‘últimos’, cobrindo-os de atenções e de serviços ou renunciando muitas vezes a momentos de lazer. No infantário depositou as suas poupanças na caixa de esmolas para os ‘negrinhos’. Sonhava ir para a África como médica para curar aquelas crianças. No dia da sua Primeira Comunhão recebeu de presente o livro dos Evangelhos. Era para ela o “magnífico livro” e “uma mensagem extraordinária”. Afirmava: “Assim como para mim é fácil aprender o alfabeto, o mesmo deve acontecer com o Evangelho!”. Quando tinha 9 anos começou a fazer parte dos Gen do Movimento dos Focolares, e fez completamente seu esse ideal, levando os pais também a aderir.

Aos 17 anos sentiu de repente uma dor muito forte no ombro esquerdo. Os exames, e as várias operações revelaram um osteosarcoma, dando assim início a um verdadeiro calvário que durou quase dois anos. Logo que teve conhecimento do diagnóstico, Chiara não chorou nem se rebelou. Ficou envolvida num silêncio e, 25 minutos depois, da sua boca saiu um sim à vontade de Deus. Disse muitas vezes: “Se é assim que queres, Jesus, também eu quero”. Nunca perdeu o seu sorriso luminoso. Enfrentou tratamentos muito dolorosos. Recusou a morfina porque lhe tirava a lucidez, oferecendo tudo pela Igreja, pelos jovens, pelos não crentes, pelo movimento, pelas missões… Dizia muitas vezes: “Não tenho nada, mas tenho ainda o coração e com ele posso amar sempre”.

O seu quarto no hospital em Turim ou a sua casa era lugares de encontro, de apostolado e de unidade. Até os médicos, muitas vezes não praticantes, ficavam desconcertados diante da paz que se respirava à sua volta, e alguns deles voltaram a aproximar-se de Deus.

O nome “Luce” (Luz) foi-lhe dado por Chiara Lubich, fundadora dos Focolares, com quem manteve um intenso relacionamento desde pequena.

Chiara Luce Badano não tinha medo de morrer. Tinha dito à mãe: “Já não peço a Jesus que me venha buscar para me levar para o Paraíso, porque quero ainda oferecer-lhe as minhas dores, para poder ainda partilhar com Ele a cruz”. E sobre a juventude: “Os jovens são o futuro. Eu já não posso correr, mas gostaria de lhes passar a chama como nas Olimpíadas. Os jovens têm uma só vida e vale a pena vivê-la bem!”.

Chiara morreu na madrugada do dia 7 de Outubro de 1990, depois de uma noite de muito sofrimento. Era o dia da Virgem do Rosário. As suas últimas palavras foram: “Mãe, sê feliz, porque eu sou feliz”.

 

 

Processo de beatificação

O processo diocesano para a Causa da sua Beatificação foi aberto em 1999 pelo bispo de Acqui, monsenhor Livo Maritano, e foi depois continuado pela fase romana. Em 2008, foi declarada venerável.

A 19 de Dezembro de 2009, o Santo Padre Bento XVI reconheceu o milagre de cura de uma pessoa em Trieste, atribuído à intercessão da venerável Chiara Luce Badano e assinou o decreto para a sua beatificação.

 

 

Milhares acompanham beatificação

Estão inscritas mais de 12 mil pessoas, a maioria jovens, de 57 países dos 5 continentes para as cerimónias de beatificação de chiara Luce Badano. De Portugal serão 203. Segundo informa o Movimento dos Focolares, estarão presentes pessoas “da Jordânia, da Terra Santa, dos Estados Unidos, da Coreia, de Honk Kong, das Filipinas, da Colômbia, da Venezuela, do Brasil, da Argentina e de toda a Europa”.

A OPINIÃO DE
Guilherme d'Oliveira Martins
Se há exemplo de ativismo cívico e religioso e para o impulso permanente em prol da solidariedade, da...
ver [+]

Pedro Vaz Patto
Há temáticas sobre que tem falado o Papa Francisco de forma recorrente e que são da maior relevância, mas nem sempre têm o eco que seria devido.
ver [+]

Tony Neves
O Dia Mundial da Criança comemora-se a 1 de junho, em diversos países, incluindo Portugal, Angola, Moçambique…...
ver [+]

P. Gonçalo Portocarrero de Almada
O que caracteriza o casamento não é o amor – que é também comum a outras relações humanas –...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
EDIÇÕES ANTERIORES