Lisboa |
Patriarca de Lisboa encontrou-se com o Patriarca Ecuménico de Constantinopla
“Amamos a Igreja Católica como uma bela irmã!”
<<
1/
>>
Imagem

O Patriarca de Lisboa, D. Rui Valério, teve um encontro com o Patriarca Ecuménico de Constantinopla, Bartolomeu I, que está pela primeira vez em Portugal. A audiência decorreu na manhã desta terça-feira, dia 14 de maio.

No Seminário Maior de Cristo Rei, nos Olivais, o Patriarca de Lisboa e o Patriarca de Constantinopla (Igreja Ortodoxa) trocaram cumprimentos e votos de “paz” e “reconciliação”. D. Rui Valério e Bartolomeu I estiveram reunidos, numa sala deste seminário diocesano, durante cerca de 20 minutos, naquela que é a primeira visita de um Patriarca Ecuménico de Constantinopla a Portugal.

Por parte do Patriarcado Ecuménico, além do Patriarca Bartolomeu, estiveram presentes o Metropolita Emmanuel de Calcedónia, o Metropolita Bessarion de Espanha e Portugal, o Grande Eclesiarca Arquimandrita Aetios, o Arquimandrita Theofylactos e o Diácono Patriarcal Epifâneo. Do Patriarcado de Lisboa estiveram presentes, além do Patriarca D. Rui Valério, o Bispo Auxiliar de Lisboa, D. Joaquim Mendes, o Vigário-Geral, Cónego Francisco Tito, o Reitor do Seminário Maior, Cónego José Miguel Pereira, o Coordenador do Conselho Presbiteral, Cónego Duarte da Cunha, e o Diretor do Departamento das Relações Ecuménicas e do Diálogo Inter-Religioso, Padre Peter Stilwell.

Durante a audiência privada, na Sala Cardeal Cerejeira, houve uma troca de presentes e a assinatura, por parte de Bartolomeu I, do livro de honra do Seminário Maior de Cristo Rei, nos Olivais.

 

“Somos irmãos porque o sacerdócio de Cristo é único”

Após o encontro privado, o Patriarca Ecuménico de Constantinopla dirigiu umas palavras aos membros do Conselho Presbiteral do Patriarcado de Lisboa, cuja reunião estava a decorrer naquele local. “Celebrámos a Páscoa há poucos dias: trago-vos uma saudação pascal muito cordial da parte da Igreja de Constantinopla. Saúdo-vos como um irmão: a maioria de vós sois sacerdotes. São sacerdotes e bispos: somos irmãos porque o sacerdócio de Cristo é único. Vimos de Constantinopla – um centro histórico importantíssimo do Cristianismo – e estamos em preparação, com o Papa Francisco, dos dezassete séculos do Concílio de Niceia”, começou por referir Bartolomeu I.

Este líder espiritual ortodoxo revelou ainda que “o Núncio na Turquia fez saber que o Papa gostava de ser convidado para uma celebração deste aniversário em Niceia”. “Escrevi essa carta. O Papa Francisco já visitou Turquia, em 2014, apenas um ano depois da sua eleição. Já Paulo VI, João Paulo II, Bento XVI honraram a Igreja de Constantinopla com a sua visita. Tive vontade de estar na tomada de posse do Papa Francisco, o que aconteceu pela primeira vez, espontaneamente: um Patriarca de Constantinopla estar na tomada de posse de um Papa de Roma! No dia a seguir, tivemos um encontro e esse encontro foi expressão da nossa verdadeira amizade”, garantiu.

Na sua intervenção aos membros do Conselho Presbiteral do Patriarcado de Lisboa, o Patriarca Ecuménico de Constantinopla recordou os últimos passos das relações entre católicos e ortodoxos. “Encontrámo-nos doze vezes em Roma, Constantinopla, Lesbos, Jerusalém. Nesse primeiro encontro, propus ao Papa encontrarmo-nos em Jerusalém para celebrar os 50 anos do encontro entre Paulo VI e Atenágoras. Criou-se uma Comissão Mista para a realização do programa da visita para o próximo ano. Como vós sabeis, este primeiro Concílio, entre outras coisas, debateu a data da Páscoa. Com o Papa Francisco tivemos um debate fraterno sobre a forma de como poderemos celebrar a Páscoa sempre na mesma data. Amamo-vos! Amamos a Igreja Católica como uma bela irmã! Antes do Cisma [de 1054], tínhamos a pentarquia que tinha Roma como a primeira, depois Constantinopla. Roma é sempre a primeira sede do Cristianismo. Esperamos em breve poder regressar à comunhão e poder saudar o Bispo de Roma como nosso irmão mais velho”, expressou.

Bartolomeu I terminou a sua saudação destacando a palavra “sinodalidade”. “Vocês, católicos, têm falado sobre a sinodalidade. No passado mês de outubro, houve o Sínodo sobre a Sinodalidade: esteve um observador do Patriarcado Ecuménico. No próximo mês de outubro, nomearemos um observador para a próxima sessão. Este vosso interesse sobre a sinodalidade ajudará muito ao diálogo, no caminho para a unidade. Para nós, ortodoxos, é um tema muito importante”, terminou Bartolomeu I, falando em italiano.

 

“A reconciliação é o caminho”

Antes da intervenção do Patriarca Ecuménico de Constantinopla, o Patriarca de Lisboa fez também uma saudação, em italiano. “Lisboa é uma cidade com uma grandeza que é eco da história, sob o signo missionário. Sede de paz: a reconciliação é o caminho que devemos mostrar à sociedade de hoje. O sinal de Lisboa é uma barca: este mesmo sinal pode indicar que somos uma Igreja em caminho, em direção ao abraço de irmãos. «O exemplo do Papa Paulo VI e do Patriarca Atenágoras mostra-nos que todos os autênticos caminhos para a restauração da plena comunhão entre os discípulos do Senhor se distinguem pelo contacto pessoal e pelo tempo passado junto» (citação do Papa Francisco)”, salientou D. Rui Valério.

Os Patriarcas de Lisboa e de Constantinopla visitaram depois a capela deste seminário e almoçaram com os sacerdotes membros do Conselho Presbiteral da diocese.

 

1.º Fórum Global KAICIID para o Diálogo

O líder ortodoxo chegou esta manhã ao nosso país, onde vai participar no 1.º Fórum Global KAICIID para o Diálogo, entre os dias 14 e 16 de maio, organizado pelo KAICIID – Centro Internacional de Diálogo, com sede em Lisboa. Um fórum onde irão participar diversos líderes políticos e religiosos, representantes de organizações internacionais e membros da sociedade civil. Na lista de oradores está o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, o antigo primeiro-ministro francês François Hollande e o imã da Grande Mesquita de Meca, Salih bin Abdullah al-Humaid.

 

Divina Liturgia de quinta-feira

A visita a Portugal do Patriarca de Constantinopla foi anunciada pela Santa Metrópole de Espanha e Portugal do Patriarcado Ecuménico. Na quinta-feira, dia 16 de maio, às 10h00, Sua Santidade Bartolomeu I vai presidir à Divina Liturgia de quinta-feira, em memória de São Nicolau, o Místico, Patriarca de Constantinopla, na paróquia greco-ortodoxa da Virgem Maria (Igreja de Nossa Senhora da Vitória, Rua da Vitória 104, 1100-619 Lisboa) e “abençoará o rebanho multiétnico da capital portuguesa”, refere uma nota. Segue-se, às 12h00, uma conferência de imprensa com a comunicação social, na Igreja de São Nicolau, e, às 13h00, no mesmo local, o almoço com clero e líderes Ortodoxos de Lisboa.

“Vale a pena mencionar que é a primeira vez que um Patriarca Ecuménico visita o abençoado país de Portugal e a sua bela capital. Glória a Deus por tudo!”, termina a informação.

 

Encontro do Patriarca de Lisboa com o Patriarca Ecuménico de Constantinopla

texto e fotos por Diogo Paiva Brandão
A OPINIÃO DE
Guilherme d'Oliveira Martins
O poema chama-se “Missa das 10” e foi publicado no volume Pelicano (1987). Pode dizer-se...
ver [+]

Tony Neves
Cerca de 3 mil Espiritanos, espalhados por 63 países, nos cinco continentes, anunciam o Evangelho....
ver [+]

Tony Neves
Deixei Cabo Verde, terra da ‘morabeza’, já cheio da ‘sodade’ que tão bem nos cantava Cesária Évora.
ver [+]

Pedro Vaz Patto
Talvez a mais surpreendente iniciativa do pontificado do Papa Francisco (onde as surpresas abundam)...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
EDIÇÕES ANTERIORES