Lisboa |
Aos 77 anos
Faleceu o padre José Manuel da Silva
<<
1/
>>
Imagem

Antigo pároco de Matacães, Monte Redondo e Runa, na zona Oeste, além de vigário paroquial (coadjutor) de Torres Vedras durante mais de três décadas, o padre José Manuel da Silva faleceu na manhã desta terça-feira, 19 de março, a dois dias de completar 78 anos.

O corpo do sacerdote vai estar em câmara ardente na Igreja de São João, em Torres Vedras, a partir das 16h00 desta terça-feira. A Missa exequial vai ser celebrada amanhã, quarta-feira, dia 20 de março, presidida pelo Patriarca Emérito de Lisboa, cardeal D. Manuel Clemente, na Igreja da Graça, em Torres Vedras, às 14h00, seguindo o funeral para o Cemitério de São Miguel.

Nascido a 21 de março de 1946, em Torres Vedras, frequentou os seminários de Santarém (1957-1960), Almada (1960-1964) e dos Olivais (1964-1968). Foi depois para Nampula, em Moçambique, entre 1968 e 1973, tendo sido professor de Religião em quatro escolas, além de secretário do Bispo Nampula e secretário geral da diocese.

Entre 1973 e 1975, tirou a licenciatura em Teologia, na Pontifícia Universidade Urbaniana, em Roma. Entretanto, tinha sido ordenado a 29 de julho de 1974, na Igreja da Graça, em Torres Vedras, pelas mãos de D. Manuel da Silva Vieira Pinto, ficando ao serviço da Diocese de Nampula. Foi admitido no Patriarcado de Lisboa um ano depois, a 1 de julho de 1975, vindo de Roma, incardinando-se na diocese a 27 de janeiro de 1986.

Em 1988, o sacerdote é nomeado pároco de Matacães e, três anos mais tarde, acumula também a paróquia de Monte Redondo, ambas na Vigararia de Torres Vedras. No ano 2000, assume ainda Runa, ficando nestas três paróquias até julho de 2012. Entre fevereiro de 1978 e 2012, e ao longo de mais de 34 anos, é igualmente vigário paroquial (coadjutor) das duas paróquias de Torres Vedras (Santa Maria e São Miguel, São Pedro e São Tiago). Finalmente, de 2012 até 2020, foi colaborador das paróquias do Ramalhal e do Maxial.

A nível diocesano, o padre José Manuel da Silva era atualmente o capelão do Lar da Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras, desde 2003. Antes, tinha sido capelão do Hospital do Barro (2002-2011) e da Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Torres Vedras (1985-2019), além de capelão-mor dos Bombeiros Portugueses (1999-2018). Entre 2002 e 2011, o sacerdote foi também coordenador diocesano dos capelães hospitalares.

O sacerdote foi ainda nomeado, em 1976, encarregado do Jornal Badaladas, de Torres Vedras, ficando depois diretor-adjunto e, a 1 de agosto de 1986, passa a ser diretor, ficando no cargo até 25 de agosto de 2000. Colaborou também com o padre Jardim Gonçalves em diversas iniciativas do Departamento da Comunicação e da Cultura do Patriarcado de Lisboa. No dia 10 de novembro de 2019, é distinguido com a medalha de mérito municipal de grau ouro pela Câmara Municipal de Torres Vedras.

O padre José Manuel da Silva pertencia ainda à Irmandade de São Pedro do Clero do Patriarcado de Lisboa.

fotos Bombeiros Voluntários de Torres Vedras e Câmara Municipal de Torres Vedras
A OPINIÃO DE
Guilherme d'Oliveira Martins
O poema chama-se “Missa das 10” e foi publicado no volume Pelicano (1987). Pode dizer-se...
ver [+]

Tony Neves
Cerca de 3 mil Espiritanos, espalhados por 63 países, nos cinco continentes, anunciam o Evangelho....
ver [+]

Tony Neves
Deixei Cabo Verde, terra da ‘morabeza’, já cheio da ‘sodade’ que tão bem nos cantava Cesária Évora.
ver [+]

Pedro Vaz Patto
Talvez a mais surpreendente iniciativa do pontificado do Papa Francisco (onde as surpresas abundam)...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
EDIÇÕES ANTERIORES