Lisboa |
Patriarca de Lisboa participa na 35.ª Festa de Natal da Comunidade Vida e Paz
“Deus tem o seu olhar sempre sobre nós todos”
<<
1/
>>
Imagem

O Patriarca de Lisboa esteve presente na 35.ª Festa de Natal da Comunidade Vida e Paz, que decorreu nos dias 16, 17 e 18 de dezembro, na Cantina 1 da Cidade Universitária, em Lisboa. No segundo dia de festa, durante a tarde, D. Rui Valério assegurou às pessoas em situação de sem-abrigo que “Deus tem sempre o seu pensamento, o seu olhar, o seu coração, o seu amor” sobre cada um.

 

A visita começou pela área do Barbeiro e Duches, onde os voluntários trabalham a autoestima das pessoas em situação de sem-abrigo através da mudança de visual. Foi neste local que o Patriarca de Lisboa escutou as primeiras (duras) histórias de vida dos convidados da 35.ª Festa de Natal da Comunidade Vida e Paz. Seguiu-se a zona da Cozinha, com D. Rui Valério a ficar à porta, por questões de higiene, por não estar ‘equipado’ para o efeito, mas a saudar os cozinheiros e a abençoar todas aquelas mãos que prepararam milhares de refeições ao longo dos três dias de festa. Subindo ao primeiro piso, o Patriarca foi contactando com diversos convidados, procurando conhecer as suas vidas e deixando sempre uma palavra de coragem e esperança. Foi assim no espaço Cidadania, onde as pessoas em situação de sem-abrigo são desafiadas pela instituição tutelada pelo Patriarcado de Lisboa a mudar de vida. Antes de se ir paramentar para a celebração, D. Rui Valério esteve ainda à conversa com dois ‘Pais Natais’ motards, que também abrilhantavam a festa.

Já na Missa, durante a homilia, o Patriarca de Lisboa partilhou um contacto inesperado que tinha acabado de ter. “Quando estava agora a entrar nesta sala, estava um bebé, num carrinho, e quando eu me aproximo, recebi um presente maravilhoso daquela criancinha, que ainda não fala, não caminha: foi o sorriso. Um sorriso extraordinário! Um sorriso que eu nunca encontrei em nenhuma pessoa adulta”, começou por contar, prosseguindo: “E porque é que aquela criança me deu aquele sorriso de uma genuína alegria? Talvez porque eu estava ali, ao pé dela, a falar com ela, a dar-lhe atenção. É que a nossa alegria e a nossa felicidade não estão naquilo que nós temos, nem sequer naquilo que nós fazemos. A alegria daquela criança foi saber que estava ali alguém a olhar para ela. Então, queria que cada uma e cada um de vocês soubesse que é assim que Deus está contigo, a olhar para ti, a contemplar-te, a ver a tua vida. Porque Ele conhece a tua vida. Ele sabe o que tu sofres, Ele conhece os teus pensamentos, Ele conhece quando tu estás a cismar coisas, coisas e coisas. Deus tem o seu olhar sempre sobre nós todos. Nada do que vivemos ou pensamos lhe é desconhecido. Deus é nosso Pai, que nos ama profundamente. Leva para a tua vida esta certeza: tu nunca estarás sozinho, Deus está sempre contigo. Tem sempre o seu pensamento, o seu olhar, o seu coração, o seu amor sobre ti”.

 

Visitar uma igreja

Dirigindo-se de forma particular às pessoas na situação de sem-abrigo, o Patriarca garantiu ainda que “Jesus gosta de se identificar com aqueles que têm fome, que têm sede”. “Jesus identifica-se convosco. Porquê? Porque gosta imensamente de vós, gosta tanto que não nos abandona, não nos deixa sozinhos. E hoje tivemos mais uma prova de como Deus vem ao nosso encontro, de como Deus nos dá saúde e vida, mas sobretudo, vocês vejam quantas pessoas amigas é que Deus colocou ao nosso lado para nos ouvir, para nos atender. São dons de Deus. Deus é o nosso paizinho, é Aquele que nos ama, que nos ama de verdade”, justificou.

Na sua primeira homilia, enquanto Patriarca de Lisboa, às pessoas na situação de sem-abrigo, D. Rui Valério deixou um convite. “Em Lisboa existem tantas igrejas, por isso quando tu tens alguma coisa que dizer, quando tu queres desabafar, entra numa igreja. Senta-te. Põe-te de joelhos. E à frente hás de ver que está lá sempre uma luz, pequenina, normalmente de cor rubro: significa que Jesus está ali. Então, olha: diz-lhe, conta-lhe o que estás a passar. E vocês vão ver que Jesus nunca nos deixa sem resposta. Atenção, a resposta pode vir não naquele instante e daquela maneira como nós gostaríamos que viesse, mas Deus responde-nos sempre”, explicou, reforçando que “podem contar com Jesus Cristo sempre”. “Ele está lá sempre! Basta entrar naquela porta, colocares-te naqueles bancos e começares a falar com Ele, em voz baixa porque Jesus não tem problemas de audição. Podemos falar no silêncio e Ele ouve-nos”, acrescentou.

 

Esperança e sorriso

Nesta Festa de Natal, D. Rui Valério não esqueceu também os funcionários e voluntários da Comunidade Vida e Paz. “Podemos contar com Jesus, mas podemos contar uns com os outros. Eu preciso da vossa oração. Podemos contar com estas nossas simpatiquíssimas irmãs e irmãos da Comunidade de Vida e Paz e outras pessoas boas, de coração magnânimo, bondoso, que estão aqui para nos dizer ‘podes contar comigo’”, observou.

A última mensagem que o Patriarca de Lisboa quis deixar aos convidados foi um convite à esperança. “Um santo e feliz Natal e que o Menino Jesus vos traga muitas prendas, sobretudo a da esperança e a do sorriso, como o sorriso daquele bebé que eu encontrei aqui e que foi verdadeiramente uma coisa bela e fascinante”, terminou.

 

______________


“Isto não era festa, não era encontro, se não houvesse Missa. Que festa é aquela onde não há Missa? É por isso que estamos na Eucaristia, para fundamentalmente fazermos duas coisas: primeiro, para nos apresentarmos a Deus, para dizer a Jesus ‘estou aqui, Tu, Senhor, és importante para minha vida’; e a segunda coisa é para nos encontrarmos uns com os outros, porque é aqui, à volta do altar, que a amizade entre as pessoas se fortalece e se torna mais forte. Nós precisamos todos uns dos outros. Todos! A vida é difícil, para todos nós, mas vamos dizer obrigado a Deus por ter colocado ao nosso lado, na nossa vida, uma mão amiga, um braço amigo, uma pessoa amiga.”

D. Rui Valério, Patriarca de Lisboa, no início da celebração

 

______________


Número de convidados aumentou 36%

Durante “três Dias Mágicos”, a 35.ª Festa de Natal da Comunidade Vida e Paz “acolheu 1.720 pessoas em situação de sem-abrigo ou em condição de vulnerabilidade social, o que representou um crescimento de 36% face ao ano anterior”. “Este incremento já era esperado pela organização, tendo em conta a atual conjuntura do país e do número de pessoas apoiadas pela Comunidade durante todo o ano”, frisa um comunicado.

O atendimento do Espaço Aberto ao Diálogo (EAD) “foi o que recebeu mais convidados, com 293 pessoas recetivas a ser motivadas para a mudança e encaminhadas para serviços ou respostas que necessitavam”. “Um número que representou um crescimento de cerca de 50% face ao homólogo”, salienta a nota. A área mais procurada, a da Alimentação, “registou cerca de 4.030 refeições, um aumento de cerca de 40% comparativamente a 2022”. Durante os três dias da Festa de Natal, “foram distribuídas cerca de 10.200 peças de roupa, realizados 109 rastreios dentários, 173 consultas médicas e 168 rastreios cardiovasculares e 139 banhos quentes”.

No atual contexto de crise, “e face a este aumento da procura de apoio”, a Comunidade Vida e Paz “apresenta-se preocupada com a sua capacidade de resposta, uma vez que existe um decréscimo das doações na ordem dos 30%”. Segundo a diretora-geral da Comunidade, Renata Alves, “conseguir manter os serviços da Instituição é um desafio muito grande. Temos tido um decréscimo bastante acentuado de donativos. Acreditamos que o próximo ano possa ser muito difícil”.

Donativos:

IBAN: PT50 0036 0000 9910 5505051 96

MB Way: 912 340 222

  

______________


O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Carlos Moedas, estiveram presentes na 35.ª Festa de Natal da Comunidade Vida e Paz

texto e fotos por Diogo Paiva Brandão
A OPINIÃO DE
Guilherme d'Oliveira Martins
Acaba de ser publicada a declaração “Dignitas Infinita” sobre a Dignidade Humana, elaborada...
ver [+]

Tony Neves
Há fins de semana inspirados. Sábado fiz de guia a dois locais que me marcam cada vez que lá vou. A...
ver [+]

P. Gonçalo Portocarrero de Almada
Conta-nos São João que, junto à Cruz de Jesus, estava Maria, a Mãe de Cristo, que, nesse momento, foi...
ver [+]

Pedro Vaz Patto
Foi muito bem acolhida, pela generalidade da chamada “opinião pública”, a notícia de que...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
EDIÇÕES ANTERIORES