Lisboa |
Luz da Paz de Belém
“Um sinal de esperança na construção da paz”
<<
1/
>>
Imagem

Na cerimónia regional de partilha da Luz da Paz de Belém, o Bispo Auxiliar de Lisboa D. Joaquim Mendes convidou os escuteiros a promoverem uma “cultura de paz”.

“A Luz de Belém este ano traz um apelo ao compromisso pela construção da paz. Perante as guerras e os conflitos que aumentam cada dia no mundo, somos interpelados a ir contra a corrente, promovendo uma cultura de paz, sendo construtores da paz”, desafiou o prelado, na celebração que decorreu na noite de dia 11 de dezembro.

Na Sé Patriarcal, o Bispo Auxiliar de Lisboa lembrou que o nascimento de Jesus Cristo é “uma Luz para o caminho da paz”. “Jesus, com a sua vida e as sua Palavras, abriu para a humanidade o caminho para a construção da paz, para um mundo de paz. O mundo que todos sonhamos e desejamos. Jesus mostrou-nos este caminho com a sua própria vida. Mostrou-nos e ensinou-nos que o caminho para a construção da paz é o caminho da verdade e da mansidão; é o caminho da reconciliação e do perdão; é o caminho do amor, do amar os outros como Ele nos amou e nos ama”, apontou D. Joaquim Mendes, reforçando que “o caminho para a construção da paz é o caminho do amor, percorrido por Jesus Cristo e proposto à humanidade de todos os tempos”. “O caminho para a construção da paz é Cristo”, observou.

 

___________

A Região de Lisboa do CNE esteve representada na cerimónia nacional da Partilha da Luz da Paz de Belém, que decorreu em Viana do Castelo, no dia 10 de dezembro.

fotos por Região de Lisboa do CNE
A OPINIÃO DE
Guilherme d'Oliveira Martins
Acaba de ser publicada a declaração “Dignitas Infinita” sobre a Dignidade Humana, elaborada...
ver [+]

Tony Neves
Há fins de semana inspirados. Sábado fiz de guia a dois locais que me marcam cada vez que lá vou. A...
ver [+]

P. Gonçalo Portocarrero de Almada
Conta-nos São João que, junto à Cruz de Jesus, estava Maria, a Mãe de Cristo, que, nesse momento, foi...
ver [+]

Pedro Vaz Patto
Foi muito bem acolhida, pela generalidade da chamada “opinião pública”, a notícia de que...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
EDIÇÕES ANTERIORES