Lisboa |
Proteção de crianças e adultos vulneráveis
Catequistas convidados para formação de sensibilização
<<
1/
>>
Imagem

Estão abertas as inscrições para a formação de sensibilização em proteção de crianças e adultos vulneráveis para catequistas. “A formação é obrigatória para todos os catequistas a partir de setembro de 2023”, refere o Setor da Catequese de Lisboa.

Todos os atuais catequistas “deverão frequentar uma das ações de formação presenciais que irão decorrer durante o último trimestre”, explica o serviço diocesano. “O catequista pode inscrever-se na data que lhe for mais conveniente, independentemente da vigararia à qual pertence a sua paróquia. Todos os catequistas que entrem na catequese após janeiro de 2024 terão de realizar o percurso inicial ‘Ser Catequista’, promovido pelo Setor da Catequese”, refere a nota.

Recorde-se que a formação de sensibilização em proteção de crianças e adultos vulneráveis conta com a colaboração da APAV - Associação Portuguesa de Apoio à Vítima e teve início neste mês de setembro, abrangendo todas as 18 vigararias do Patriarcado. Para o padre Tiago Neto, diretor do Setor da Catequese, este conjunto de ações marca um “ponto sem retorno na aplicação de medidas de proteção e cuidado, de modo a que as paróquias sejam lugares onde as crianças, os jovens, as famílias e os mais vulneráveis encontrem segurança e proteção”.

As datas e locais da formação estão disponíveis no site https://catequese.patriarcado-lisboa.pt. “Caso tenha alguma dificuldade no processo de inscrição deverá contactar o seu coordenador paroquial ou, em última instância, o Setor da Catequese usando o e-mail catequese@patriarcado-lisboa.pt”, termina a nota.

Informações: 218810533 / 930460582

A OPINIÃO DE
Tony Neves
O Gabão acolheu-me de braços e coração abertos, numa visita que foi estreia absoluta neste país da África central.
ver [+]

Pedro Vaz Patto
Impressiona como foi festejada a aprovação, por larga e transversal maioria de deputados e senadores,...
ver [+]

Guilherme d'Oliveira Martins
Há anos, Umberto Eco perguntava: o que faria Tomás de Aquino se vivesse nos dias de hoje? Aperceber-se-ia...
ver [+]

Pedro Vaz Patto
Já lá vai o tempo em que por muitos cantos das nossas cidades e vilas se viam bandeiras azuis e amarelas...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
EDIÇÕES ANTERIORES