Lisboa |
Novo Patriarca de Lisboa preside à Solenidade de Nossa Senhora da Nazaré
“Nossa Senhora entende-se a partir do coração e do amor”
<<
1/
>>
Imagem

O novo Patriarca de Lisboa garantiu que “nunca se compreenderá Nossa Senhora com a razão”. No Santuário de Nossa Senhora da Nazaré, na primeira celebração pública após tomar posse e entrar solenemente na diocese, D. Rui Valério consagrou a Maria o seu ministério patriarcal, o Patriarcado e o mundo.

 

Um santuário mariano, na zona mais a norte da diocese, foi o lugar escolhido pelo novo Patriarca de Lisboa para dar início à sua missão pública, nas paróquias, após a tomada de posse e entrada solene. Na Nazaré, D. Rui Valério presidiu à Solenidade de Nossa Senhora da Nazaré, na manhã do passado dia 8 de setembro, e explicou como entender Maria. “No primeiro encontro com a Virgem Santa, nesta manhã maravilhosa, irradiante – porque esplendorosa com a luz da nossa fé –, o primeiro convite que nos é feito, o primeiro incurso que nós sentimos, é de nos colocarmos numa atitude de contemplação para, a exemplo do justo e do puro José, tentar mergulhar nesse oceano infinito que é o mistério de Maria. E digo mistério porque a exemplo daquilo que aconteceu com São José, que só despertou para ele mediante um sonho – ou seja, enquanto dormia –, o que significa que não foram as capacidades intelectuais, cognitivas, de conhecimento de São José que alcançaram o mistério da Virgem Santa, mas foi-lhe comunicado e transmitido por uma luz do Alto. Tal como no passado, também no presente e será sempre assim: para nos deixarmos envolver pela luz que brilha d’Aquela que é mais brilhante que o sol, a Virgem Santa, nós não nos podemos aproximar com a nossa razão. Nunca se compreenderá Nossa Senhora com a razão. Entender-se-á Maria como se entende uma mãe e como uma mãe entende o filho: a partir do coração, a partir do amor”, assegurou o Patriarca de Lisboa. “É por isso, cara irmã e caro irmão, que do dia de hoje deverás levar para a tua vida esta mensagem de sabedoria: só compreenderás quem e aquilo que amas. Só onde há amor, há entendimento e compreensão”, acrescentou.

 

“Olha-nos sempre”

Visivelmente feliz neste primeiro contacto, numa paróquia, com os fiéis do Patriarcado de Lisboa, D. Rui Valério garantiu ainda que Nossa Senhora “sabe o mundo que nos povoa interiormente” e “capta as lágrimas que tantas vezes ficam no silêncio”. Nesta terra de pescadores, o sucessor de D. Manuel Clemente deixou, por isso, a certeza de que “a Virgem Santa olha-nos sempre”. “Há uma força que brota da Virgem Santa Maria, que confere serenidade aos que ficam em terra e aos que labutam no mar. Por isso, quando das vossas casas se parte ao encontro daquilo que alimenta as nossas irmãs e os nossos irmãos, quando os pescadores se lançam ao mar capturando esse maravilhoso peixe, eles têm a certeza que nunca serão distantes do coração de Maria. Isso confere-lhes serenidade e confiança”, recordou.

Na Nazaré, o novo Patriarca de Lisboa destacou o Evangelho escutado na celebração, que narra a genealogia de Jesus Cristo e as diversas gerações, para assegurar o “primado do ser humano”. “Quem são os verdadeiros protagonistas da história? Serão forças ocultas? Serão máquinas? O verdadeiro protagonista da história é o ser humano! Com nome, apelido e rosto. Que não haja dúvidas: na Igreja, o ser humano tem a prioridade, tem o primado, por vontade de Deus. Esta mensagem é necessária ser dita, hoje”, considerou, frisando que “Nossa Senhora quer salvaguardar esta dimensão humanista”. “Tu, para a Virgem Santa, nunca serás o número, serás sempre uma pessoa”, apontou.

Na celebração dos 840 anos do milagre de Nossa Senhora de Nazaré, D. Rui Valério citou ainda uma frase do fundador da congregação a que pertence. “Permiti que evoque aqui uma frase tão querida a São Luís Maria Grignion de Monfort, fundador dos Padres Monfortinos, missionários. Dizia ele: ‘Assim como Jesus Cristo veio até nós através de Maria, é através de Maria que nós havemos de ir a Jesus Cristo’. Esta frase deixa-nos precisamente este grande convite: caminhemos, pois, não sozinhos, mas como Igreja, como irmãs e como irmãos; mas não sós, caminhamos com Maria, para realizarmos aqueles desígnios, para concretizarmos aquela folha de compromissos que o Papa Francisco nos está a lançar, de uma Igreja sinodal, de fazer juntos, mas sobretudo uma Igreja que se deixa encantar e enamorar com o sonho de Deus, que é a paz e a fraternidade. É fazermos deste mundo um mundo novo”, terminou o novo Patriarca de Lisboa.

 

______________


Patriarca de Lisboa consagra o seu ministério e todo o Patriarcado a Nossa Senhora

O novo Patriarca de Lisboa consagrou o seu ministério patriarcal a Nossa Senhora. No Santuário de Nossa Senhora da Nazaré, D. Rui Valério consagrou também toda a diocese e o mundo.

“Depois da minha tomada de posse, no sábado, do início do meu ministério patriarcal, e da entrada solene, nos Jerónimos, no Domingo, esta é a primeira celebração a que eu presido com esta envergadura. Compreendeis que estou felicíssimo, estou radiante, por ser num santuário onde está Nossa Senhora. Interiormente, estou a viver esta Eucaristia numa atitude de consagração. Consagro a minha ação, o meu magistério e o meu ministério – ou seja, o que eu vou fazer, o que eu vou dizer, o que eu vou pensar, o que eu também vou calar, o que eu vou silenciar –, consagro tudo isso ao coração da Virgem Santa. E que lugar maravilhoso Deus Nosso Senhor me proporcionou para o fazer, exatamente aqui, neste santuário”, revelou o novo Patriarca, no dia 8 de setembro.

No Sítio da Nazaré, na Solenidade de Nossa Senhora da Nazaré, D. Rui Valério consagrou ainda toda a diocese a Maria: “Com a consagração do meu ministério, como Patriarca de Lisboa consagro todo o Patriarcado, os senhores Bispos Auxiliares, o presbitério, os diáconos, os seminaristas, as e os consagrados, religiosas e religiosos, a comunidades cristãs. A vós, caras irmãs e irmãos, consagremo-nos ao Coração Imaculado de Nossa Senhora, perante Nossa Senhora de Nazaré”.

Por fim, o Patriarca de Lisboa quis também consagrar “o mundo”. “Ela veio a Fátima com uma mensagem de paz. Que nós, à Virgem Santa, consagremos e dediquemos todas as nossas intenções e preocupações”, rezou.

 

______________


“Conversar a sós, em muitos momentos, com Nossa Senhora de Nazaré”

A Confraria de Nossa Senhora de Nazaré ofereceu ao novo Patriarca de Lisboa uma réplica da Imagem de Nossa Senhora de Nazaré. “Não podíamos deixar passar este momento, depois da consagração que o senhor Patriarca fez à sua missão nesta diocese, para lhe entregar uma réplica da Imagem de Nossa Senhora de Nazaré, para que a leve e a guarde no seu quarto, e com Ela conversar, em muitos momentos, a sós”, referiu o presidente da confraria, Nuno Batalha, dirigindo-se a D. Rui Valério.

Este responsável tinha começado a sua intervenção por agradecer a presença do Patriarca. “Gostaria de fazer publicamente este agradecimento à vinda do nosso Patriarca, ao acolhimento que fez ao nosso convite para estar hoje connosco, neste dia que é tão simbólico para nós – ainda por cima depois desta consagração, feita neste espaço, neste lugar, neste dia que ficará seguramente no nosso coração. Pedimos que reze todos os dias por nós, por esta comunidade que necessita orações”, pediu Nuno Batalha. Também o pároco da Pederneira, “em nome da comunidade da Nazaré”, deixou o “muito obrigado” a D. Rui Valério por ter aceite o convite. “Estamos contentes por termos sido os primeiros. Que não seja como diz o Evangelho: «Os primeiros serão os últimos». Não! Temos Maria e nos confiamo-nos a Maria. Aqui, na Nazaré, estamos a aprender a fazer o que a Maria diz: «Fazei tudo o que Ele vos disser»”, assegurou o padre Salvatore Forte, deixando ainda “uma garantia” ao novo Patriarca de Lisboa: “O Senhor diz-nos para acreditarmos no seu amor. E o senhor Patriarca, hoje, ajudou-nos e salientou a importância de Maria na vida cristã, este caminho que conduz a Cristo. Muito obrigado, senhor Patriarca! Pode ter a certeza que, todos os dias, iremos colocar o seu episcopado, a sua missão, nas mãos de Maria. Essa é uma garantia”.

 

______________


“Uma palavra de saudação, de afeto e de carinho, acompanhado de um grande obrigado, de agradecimento, pela hospitalidade, não ao Patriarca, mas pela hospitalidade nas vossas vidas e nos vossos corações à Mãe de Deus, a Mãe de Jesus e a nossa Mãe, a querida Nossa Senhora, aqui venerada como Nossa Senhora de Nazaré. A Nazaré está no coração de Deus porque tendes Nossa Senhora no vosso coração. O mundo não conhece a Nazaré só pela sua praia, só pelas suas ondas, mas também pelo amor, pelo carinho, pela devoção, pela entrega e pela fé das suas gentes.”

D. Rui Valério, no início da celebração

 

______________


Após a Missa Solene, o Patriarca de Lisboa, D. Rui Valério, presidiu à tradicional Procissão e Bênção do Mar, que teve início no Largo de Nossa Senhora da Nazaré.

 

______________


Fotografias do Patriarca de Lisboa na Nazaré:


Festa de Nossa Senhora da Nazaré 2023

texto e fotos por Diogo Paiva Brandão
A OPINIÃO DE
Tony Neves
O Gabão acolheu-me de braços e coração abertos, numa visita que foi estreia absoluta neste país da África central.
ver [+]

Pedro Vaz Patto
Impressiona como foi festejada a aprovação, por larga e transversal maioria de deputados e senadores,...
ver [+]

Guilherme d'Oliveira Martins
Há anos, Umberto Eco perguntava: o que faria Tomás de Aquino se vivesse nos dias de hoje? Aperceber-se-ia...
ver [+]

Pedro Vaz Patto
Já lá vai o tempo em que por muitos cantos das nossas cidades e vilas se viam bandeiras azuis e amarelas...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
EDIÇÕES ANTERIORES