JMJ Lisboa 2023 |
Lisboa
A última viagem dos símbolos antes da JMJ
<<
1/
>>
Imagem

A cruz Peregrina e o ícone de Nossa Senhora Salus Populi Romani concluíram a peregrinação pelo Patriarcado de Lisboa. De 17 a 23 de Julho, os símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) passaram pela vigararia de Sacavém, Amadora, Sintra, Cascais e Oeiras.

Depois de uma visita à Vigararia Loures-Odivelas, os símbolos continuaram a sua viagem até à Vigararia de Sacavém, onde marcaram presença por 10 paróquias.

Uma vez que rodeia o parque Tejo-Trancão, a vigararia de Sacavém vai ser uma das vigararias a acolher mais peregrinos, esperando-se o movimento de milhares de peregrinos que irão participar na Vigília e Missa de envio, presididas pelo Santo Padre.

Dia 19, os símbolos foram passear pela Amadora, recebidos logo pela manhã numa eucaristia no Bairro do Zambujal, seguida de uma receção calorosa na Câmara Municipal da Amadora, onde D. Américo Aguiar e Carla Maria Nunes Tavares, atual presidente da câmara da Amadora, marcaram presença.

Nas suas palavras, D. Américo Aguiar ressaltou a importância da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) Lisboa 2023, que será um “lugar para todos, uma festa”, assinalando com alegria a passagem dos símbolos pela vigararia da Amadora, como “uma oportunidade de evangelização, de anúncio de Cristo vivo, de testemunho da nossa fé, no respeito por aquilo que é a fé de cada um ou a ausência de transcendência na sua vida”

Carla Tavares, por seu lado, descreveu a semana que se avizinha, como “um momento fantástico e único de comunhão, respeito, partilha e união”, sendo por isso a receção dos símbolos na cidade da Amadora “profundamente marcante”.

Dia 20 foi dedicada à vigararia de Sintra, que acolheu os símbolos com cânticos. No fim da tarde, caminhou-se até ao ponto mais ocidental do continente Europeu, o cabo da Roca, seguindo-se uma festa e jantar.

Sexta-feira, dia 21, foi a vez de Cascais receber os símbolos. Depois de visitar os estabelecimentos prisionais de Linhó e Tires, passar pelo Hospital de Cascais e pela Cercica do Livramento, Cascais encheu o Parque Palmela para escutar as palavras do Cardeal Patriarca de Lisboa, durante a Missa de Ação de Graças.

No serão deste dia, os símbolos navegaram até à penúltima paragem - a vigararia de Oeiras.

Recebidos no Porto de Recreio da Marina de Oeiras, os símbolos foram acolhidos numa cerimónia acompanhada pelos presidentes da Câmara de Cascais e de Oeiras, que, em conjunto com a população, escutaram as palavras do Vigário de Oeiras – Pe. José Luís, que explicou a história que a Cruz Peregrina e o ícone de Nossa Senhora Salus Populi Romani carregam. Na manhã do dia 22, os símbolos percorreram o Palácio do Marquês, e escutaram um grupo musical na Baía dos Golfinhos. No final do dia, depois de uma missa campal em Miraflores e um piquenique animado pelo grupo de jovens da paróquia, seguiu-se em procissão com velas até Algés. Depois de muito caminharem, os símbolos apanharam o 15E, um dos maiores ícones da cidade de Lisboa - o elétrico da Carris.

40 mil quilómetros depois, os símbolos da JMJ chegaram a Lisboa. Depois de atracarem no Cais do Sodré, peregrinaram rumo à Basílica da Estrela, onde ficaram até ao nascer do dia.

Às 11h30, os símbolos apareceram na televisão, lado a lado com o coro da Igreja de São Tomás de Aquino, e iniciaram a sua peregrinação final até à Sé.

Rodeado por jovens e boa música, os símbolos finalizaram assim a sua viagem pelas dioceses portuguesas.

A OPINIÃO DE
P. Gonçalo Portocarrero de Almada
O que caracteriza o casamento não é o amor – que é também comum a outras relações humanas –...
ver [+]

Guilherme d'Oliveira Martins
Acaba de ser publicada a declaração “Dignitas Infinita” sobre a Dignidade Humana, elaborada...
ver [+]

Tony Neves
Há fins de semana inspirados. Sábado fiz de guia a dois locais que me marcam cada vez que lá vou. A...
ver [+]

P. Gonçalo Portocarrero de Almada
Conta-nos São João que, junto à Cruz de Jesus, estava Maria, a Mãe de Cristo, que, nesse momento, foi...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
EDIÇÕES ANTERIORES