Vocações |
Irmã Lúcia
Vocação de uma profetiza contemplativa
<<
1/
>>
Imagem

No passado dia 22 de junho, o Papa Francisco aprovou a publicação do decreto que reconhece as “virtudes heroicas” da Irmã Lúcia de Jesus e do Coração Imaculado, declarando-a Venerável. Assim, a irmã Lúcia torna-se, para a Igreja, exemplo de santidade pelo reconhecimento de ter vivido heroicamente as virtudes cristãs.

Relembremos, assim, as palavras da Irmã Ângela de Fátima Coelho, vice-postuladora da causa de canonização da Irmã Lúcia sobre a sua vocação de profetiza contemplativa:

 

Chamamento e vocação - mensagem profética

“Após a intensa experiência de Deus, a 13 de maio de 1917, Lúcia vai ouvir, dos lábios da “Senhora mais brilhante do que o sol”, a sua vocação, o que Deus lhe pede: «Tu ficas cá [...]. Jesus quer servir-se de ti para Me fazer conhecer e amar. Ele quer estabelecer no mundo a devoção a Meu Imaculado Coração».

Jesus quer servir-se de ti para...

Nesta frase da Virgem Maria encontra-se, de forma explícita, o chamamento de Lúcia. Ela tem, desde muito cedo, a consciência de que esta é a sua vocação, tal como escreverá 80 anos mais tarde, ao fazer uma leitura da sua vida à luz da mensagem de Fátima: «Era a Missão que Deus me destinava».

 

A vocação de Lúcia nasce no final da Primeira Guerra Mundial. E a mensagem que veicula dirige-se a um mundo que se encaminha inexoravelmente para a Segunda Guerra, o horrífico conflito que, segundo a mensagem profética que Lúcia comunica, poderia ter sido evitado se os pedidos de Nossa Senhora tivessem tido acolhimento pela humanidade: «se fizerem o que Eu vos disser salvar-se-ão muito almas e terão paz, se não... começará uma guerra ainda pior...» (13 de julho de 1917).

A sua atividade profética desenvolver-se-á ao longo de toda sua vida, que abrangeu os momentos mais dramáticos e decisivos do século XX, dos quais foi testemunha: a Guerra Civil Espanhola (1936-1939), a Segunda Guerra Mundial (1939-1945), o Concílio Vaticano II (1962-1965), a Guerra Fria (1945-1991) e a queda do muro de Berlim (1989).

 

Um profeta-sentinela é aquele que aparece nos momentos mais difíceis, nos períodos de grande crise, mas afirmando que ainda há tempo de evitar o pior, que podemos mudar o curso dos acontecimentos. De facto, um profeta-sentinela não profere condenações definitivas, mas antes revela a raiz dos acontecimentos e das situações para que estas possam mudar. O profeta-sentinela é, pois, o especialista do apelo à conversão, ao retorno ao Coração de Deus e à sua aliança. A mensagem dos profetas é sempre uma palavra de esperança.

 

Vocação contemplativa no Carmelo

Porquê a sua atração pelo Carmelo, o lugar do silêncio e da clausura, quando a sua missão era anunciar a devoção ao Coração Imaculado de Maria?

A atração pelo Carmelo, em Lúcia, começa já na sua adolescência. Sabemos que, estando no Instituto de Santa Doroteia, e enquanto recorda a despedida dos lugares sagrados da sua infância e a sétima Aparição, Lúcia afirma: «Recordei a minha querida Nossa Senhora do Carmo e nesse momento senti a graça da vocação à vida religiosa e o atrativo pelo Claustro do Carmelo. Tomei por protetora a minha querida santa Teresinha do Menino Jesus».

É a profecia da vida escondida que cumpre a sua missão; o agir da Lúcia é um fazer feito de fidelidade à sua vocação de carmelita.

No Carmelo desenvolve a sua vocação mais profunda, maturando no silêncio a palavra com que dirá o Coração Imaculado de Maria. A partir deste silêncio a sua palavra ressoará límpida e luminosa, com os contornos de uma fecundidade que só se entende na lógica do «grão de trigo que morre para dar vida» (cf. Jo 12, 24).

Podemos dizer que o Carmelo foi, para a Lúcia, o seu caminho até Deus, o seu caminho de santidade.

Que luz maravilhosa irradia para o mundo, a partir da vida desta mulher!

A nós, herdeiros do testemunho desta religiosa, cabe-nos louvar a Santíssima Trindade e refletir esta luz que é Cristo Jesus, Senhor do nosso tempo e da nossa história.

 

in “Lúcia de Jesus: uma vida plena de LUZ”, Ângela de Fátima Coelho, 26 de julho de 2020; fotos por Santuário de Fátima

 

____________


Neste mês de Julho, o SAV propõe, para além do Poço (retiro de um dia), os seguintes campos vocacionais:

6-9: Luzeiros - Campos Vocacionais para raparigas do 7º ao 12º ano

6-8: Pré-Seminário - Campos Vocacionais para rapazes - Estágio de Verão (6º e 8º ano)

10-13: Pré-Seminário - Campos Vocacionais para rapazes - Campanário de Verão (9º a 11º)

 

Rezamos, ainda, pelas Ordenações Sacerdotais que terão lugar no Domingo, dia 2 de Julho.

 

____________


Em junho aconteceu!!!

No passado mês de junho, acompanhando o ritmo do calendário letivo, o Pré-Seminário de Lisboa terminou mais um ano de atividades.

No fim de semana de 10 e 11 de junho, os rapazes do 6º ao 11º ano (grupo dos Zaqueus e dos Companheiros de S. Tiago e S. Pedro) terminaram, no Seminário de Penafirme, as suas atividades. No sábado, os Zaqueus aprofundaram a sua procura de Cristo no Pré-Seminário, fazendo a revisão do ano e aproveitando a tarde na praia de S. Rita. Já os Companheiros mergulharam nas duas últimas Bem-Aventuranças, partilhando e refletindo como é que podem ser construtores da paz onde quer que estejam, vivendo com os olhos postos na meta de qualquer cristão: o Reino de Deus. No Domingo, contámos com a presença dos pais dos rapazes que caminham no Pré-Seminário. Durante a manhã, os pais reuniram-se para um momento de partilha do ano com os Padres formadores do Pré-Seminário. Celebrada a Eucaristia, ao meio dia, e concluído o almoço, os pais foram brindados por uma pequena sessão festiva, em que os rapazes lhes apresentaram pequenas peças de teatro sobre o ano que passou.

No Domingo seguinte, dia 18 de junho, foi a vez dos Companheiros de S. Paulo terminarem os seus encontros no Seminário de Caparide, rezando e partilhando aquilo que foi a caminhada no Pré-Seminário este ano: palavras guardadas, frutos do Espírito e desafios a abraçar.

Damos graças a Deus por este ano letivo!

 

Próximas datas:

·         Estágio de Verão – rapazes do 6º ao 8º ano (ano letivo 23/24) – dias 6 a 8 de julho (Seminário de Penafirme)

·         Campanário de Verão – rapazes do 9º ao 11º ano (ano letivo 23/24) – dias 10 a 13 de julho (Seminário de Penafirme)

·         Semana de Verão - a partir do 12º ano (ano letivo 23/24) – dias 13 a 20 de julho (Seminário de Caparide)

 

Estás interessado no Pré-Seminário? Fala connosco!

913 061 647

A OPINIÃO DE
Guilherme d'Oliveira Martins
Quando Jean Lacroix fala da força e das fraquezas da família alerta-nos para a necessidade de não considerar...
ver [+]

Tony Neves
É um título para encher os olhos e provocar apetite de leitura! Mas é verdade. Depois de ver do ar parte do Congo verde, aterrei em Brazzaville.
ver [+]

Tony Neves
O Gabão acolheu-me de braços e coração abertos, numa visita que foi estreia absoluta neste país da África central.
ver [+]

Pedro Vaz Patto
Impressiona como foi festejada a aprovação, por larga e transversal maioria de deputados e senadores,...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
EDIÇÕES ANTERIORES