Lisboa |
Conclusões do projeto ‘Say yes: aprender a dizer sim’
“Say yes contribuiu para que os adolescentes e jovens se envolvessem e interessassem pela JMJ”
<<
1/
>>
Imagem

Promovido pelo Setor da Catequese do Patriarcado de Lisboa, o projeto ‘Say yes: aprender a dizer sim’ foi “um pequeno contributo para a renovação da catequese da adolescência em Portugal”, que vai deixar “uma marca positiva a esta geração de jovens”.

“Ao longo de quatro anos (2019-2023) o projeto ‘Say yes’ respondeu às necessidades que foram surgindo, mantendo a sua identidade. Não sendo um itinerário de preparação específica para a JMJ Lisboa 2023, tanto catequistas (71%) como catequizandos (76%) consideram que o ‘Say yes’ contribuiu para que os adolescentes e jovens se envolvessem e interessassem pela JMJ”, começa por salientar a conclusão do relatório final do projeto.

Intitulado ‘Olhar retrospetivo de um projeto de catequese com adolescentes’, o documento frisa que “uma das originalidades deste projeto residiu, precisamente, em considerar, como base de uma proposta catequética, o itinerário percorrido pelo Santo Padre com os jovens ao longo das diversas edições da JMJ”. “O ‘Say yes’ mostrou ser um projeto bem articulado do ponto de vista do processo catequético que os adolescentes deveriam percorrer, assim como inovador nas propostas concretas que apresentava, tanto no contexto da vida em grupo, como na interação com a comunidade cristã e o meio envolvente”, considera o texto.

O relatório foi publicado no site https://catequese.patriarcado-lisboa.pt e salienta ainda que “foram inúmeros os grupos que desenvolveram projetos concretos de interação com realidades periféricas”. “Um dos desafios continua a ser o grau de compromisso potenciado pela realização dos projetos e o modo como os adolescentes se sentem vinculados a eles de modo efetivo”, lembra o Setor da Catequese de Lisboa, terminando: “Em suma, podemos afirmar que o projeto ‘Say yes’ realizou a sua missão de ser um pequeno contributo para a renovação da catequese da adolescência em Portugal, imprimindo um dinamismo que é fruto do Espírito Santo e que, por isso mesmo, deixará uma marca positiva a esta geração de jovens e, certamente, às que se lhe seguirão”.

A OPINIÃO DE
Tony Neves
O Gabão acolheu-me de braços e coração abertos, numa visita que foi estreia absoluta neste país da África central.
ver [+]

Pedro Vaz Patto
Impressiona como foi festejada a aprovação, por larga e transversal maioria de deputados e senadores,...
ver [+]

Guilherme d'Oliveira Martins
Há anos, Umberto Eco perguntava: o que faria Tomás de Aquino se vivesse nos dias de hoje? Aperceber-se-ia...
ver [+]

Pedro Vaz Patto
Já lá vai o tempo em que por muitos cantos das nossas cidades e vilas se viam bandeiras azuis e amarelas...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
EDIÇÕES ANTERIORES