Lisboa |
Parceria com a Catequese
Patriarcado desenvolve formação com a APAV
<<
1/
>>
Imagem

O Patriarcado de Lisboa, através da Comissão Diocesana de Proteção de Menores e Adultos Vulneráveis e do Setor da Catequese, está a desenvolver com a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV) um programa de formação destinado a catequistas e a todos os que, em contexto eclesial, lidam com crianças, jovens e adultos vulneráveis. Este programa de formação, que terá início em setembro e vai abranger todas as 18 vigararias da diocese, está incluído no protocolo que o Patriarcado de Lisboa estabeleceu com a APAV para 2023-2024. “A aplicação deste protocolo prevê quatro tipos de atuação: formação de sensibilização para agentes pastorais; formação de formadores; formação de colaboradores das IPSS ou equiparadas; e formação para presbíteros e diáconos”, refere um comunicado.

Para o padre Tiago Neto, diretor do Setor da Catequese, este conjunto de ações marca um “ponto sem retorno na aplicação de medidas de proteção e cuidado, de modo a que as paróquias sejam lugares onde as crianças, os jovens, as famílias e os mais vulneráveis encontrem segurança e proteção”. Este responsável salienta, ainda, que este programa formativo, embora abranja diversos âmbitos relacionados com as temáticas da violência e do abuso, é “uma forma concreta da Igreja responder à crise dos abusos sexuais com a qual se defronta”. 

Paralelamente a esta formação, todas as paróquias do Patriarcado de Lisboa “deverão constituir equipas de proteção de crianças e adultos vulneráveis”, para “conhecer o manual de boas práticas” e “adquirir competências para a sua aplicação”, anuncia ainda a nota. “O objetivo é formar agentes pastorais em proteção e cuidado de crianças, jovens e adultos vulneráveis e comprometer e contribuir para a transformação social necessária à promoção de ambientes seguros”, salienta.

foto: Freepik
A OPINIÃO DE
Tony Neves
O Gabão acolheu-me de braços e coração abertos, numa visita que foi estreia absoluta neste país da África central.
ver [+]

Pedro Vaz Patto
Impressiona como foi festejada a aprovação, por larga e transversal maioria de deputados e senadores,...
ver [+]

Guilherme d'Oliveira Martins
Há anos, Umberto Eco perguntava: o que faria Tomás de Aquino se vivesse nos dias de hoje? Aperceber-se-ia...
ver [+]

Pedro Vaz Patto
Já lá vai o tempo em que por muitos cantos das nossas cidades e vilas se viam bandeiras azuis e amarelas...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
EDIÇÕES ANTERIORES