JMJ Lisboa 2023 |
Símbolos da JMJ
A alegria de acolher em comunidade
<<
1/
>>
Imagem

Os Símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) continuam a sua peregrinação pelo país. Por estes dias espalharam alegria na Arquidiocese de Aveiro, pelos Arciprestados de Sever do Vouga e Albergaria-a-Velha.

Nos dias seguintes à sua chegada, os Símbolos da JMJ visitaram as Paróquias de Esgueira e Cacia, e, na tarde de dia 5 de março, foram entregues ao Arciprestado de Sever do Vouga, em peregrinação. Num ambiente de festa e alegria, com momentos de oração, reflexão e vigília, os jovens e as comunidades fizeram caminho com Maria, deixando pelo caminho diversos sentimentos e memórias. Nas comunidades de Requeixa e Sever do Vouga ninguém ficou indiferente à passagem dos Símbolos: crianças, jovens, adultos e idosos, todos quiseram tocar e sentir a força e a alegria que a Cruz e o ícone da JMJ carregam.

O terceiro dia da Peregrinação dos Símbolos pela Diocese foi marcado pela visita às Paróquias da Glória e da Aradas, do Arciprestado de Sever do Vouga. Os Símbolos da JMJ percorreram as ruas pelas mãos dos jovens e visitaram algumas instituições locais, chegando a todos, mesmo àqueles com mobilidade reduzida ou que não podem sair das suas casas.

O domingo ficou marcado pelo momento de Oração diocesana, “(C)oração Diocesano”, realizado no âmbito do Dia Mundial da Oração. Esta oração teve lugar no Centro das Artes do Espetáculo de Sever do Vouga e contou com um a atuação intimista e empolgante da Banda “Fogo Posto”.

O quinto dia dos Símbolos no Arciprestado de Sever do Vouga fez-se à chuva e ao frio, junto das comunidades das Paróquias de Rocas do Vouga, Couto Esteves, Paradela do Vouga e Pessegueiro do Vouga. Os Símbolos da JMJ visitaram vários centros paroquiais, centros recreativos e associações locais. Estiveram também em diferentes capelas, entre elas a Capela de S. Geraldo, onde se encontra uma imagem de São João Paulo II.

No dia 8 de março, a Cruz Peregrina e o Ícone de Nossa Senhora Salus Populi Romani foram entregues ao Arciprestado de Albergaria-a-Velha, tendo sido acolhidos pelas comunidades das Paróquias de Cedrim e Talhadas. A passagem dos Símbolos nestas comunidades fomentou momentos de reflexão, oração e união, despertando sentimentos diferentes a todos com quem se cruzavam. À noite realizou-se uma Oração Mariana no Cineteatro Alba, em homenagem a todas as mulheres. Acompanhados pelo ícone de Nossa Senhora Salus Populi Romani, esta foi uma noite de devoção a Maria, mãe de Jesus, pela sua referência à JMJ Lisboa 2023. No final da oração houve ainda um momento musical com a atuação da cantora Claudine Pinheiro.

No dia seguinte, os Símbolos da JMJ percorreram as Paróquias de Alquerubim, S. João de Loure, Frossos e Angeja. Foram muitos os momentos de observação, interação, veneração e oração por parte de todos os que se aproximaram dos Símbolos. Após a Vigília, realizada na Igreja Matriz, os Bombeiros de Albergaria aproveitaram a noite de guarda para rezar e zelar pelos Símbolos da JMJ.

Depois de uma noite de vigia no Quartel dos Bombeiros Voluntários de Albergaria, na sexta-feira, dia 10 de março, a Cruz Peregrina e o Ícone de Nossa Senhora Salus Populi Romani rumaram às Paróquias da Branca, Ribeira de Fráguas, tendo regressado, por fim, a Albergaria-a-Velha.

No dia seguinte, foi a vez da Paróquia de Valmaior acolher a Cruz Peregrina e o Ícone de Nossa Senhora Salus Populi Romani. Realizaram uma vigília com jovens e membros da comunidade, que pernoitaram na Igreja de Valmaior. Ao raiar do sol, chegaram as crianças da catequese, que participaram assim num momento de oração junto dos Símbolos. Depois, os Símbolos da JMJ peregrinaram até ao Serviço Diocesano de Animação Missionária (SDAM), onde se realizou a Jornada Diocesana da Infância Missionaria.

Antes da passagem ao Arciprestado de Águeda, os Símbolos da JMJ foram acolhidos pelo grupo de Caminheiros e seguiram para as Paróquias de Macinhada do Vouga, Valongo do Vouga e Trofa do Vouga, onde se fizeram presentes nas cerimónias e nas atividades previstas nestas paróquias.

Fotos por: COD Aveiro
A OPINIÃO DE
Guilherme d'Oliveira Martins
Quando Jean Lacroix fala da força e das fraquezas da família alerta-nos para a necessidade de não considerar...
ver [+]

Tony Neves
É um título para encher os olhos e provocar apetite de leitura! Mas é verdade. Depois de ver do ar parte do Congo verde, aterrei em Brazzaville.
ver [+]

Tony Neves
O Gabão acolheu-me de braços e coração abertos, numa visita que foi estreia absoluta neste país da África central.
ver [+]

Pedro Vaz Patto
Impressiona como foi festejada a aprovação, por larga e transversal maioria de deputados e senadores,...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
EDIÇÕES ANTERIORES