JMJ Lisboa 2023 |
Cruz e ícone mariano
Símbolos da JMJ ao encontro das várias realidades em Braga
<<
1/
>>
Imagem

Os Símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) continuam a peregrinar pela Arquidiocese de Braga, acompanhando os jovens nas suas diversas realidades, indo ao seu encontro nas escolas ou nas instituições desportivas.

No início da semana, a Cruz Peregrina e o ícone de Nossa Senhora Salus Populi Romani, além da visita às instituições de ensino, a equipamentos municipais, a uma congregação religiosa e às forças de segurança do Arciprestado de Barcelos, foram recebidos pelo Gil Vicente Futebol Clube. O clube de futebol acolheu os membros do Comité Organizador Diocesano (COD) de Braga, contando com a presença de atletas de diversos escalões e de membros da direção, que dialogaram sobretudo acerca da importância de valores humanitários no desporto.

Ao final da tarde, os Símbolos seguiram para os Paços do Concelho, onde foram recebidos pelo executivo camarário, com a presença de D. José Cordeiro que, segundo a Arquidiocese de Braga, congratulou todo o entusiasmo que a Diocese envolveu nesta Peregrinação. O dia encerrou com uma Caminhada da Luz até à Casa da Saúde S. João de Deus.

No dia seguinte, dia 7 de fevereiro, o ícone Mariano e a Cruz Peregrina foram ao encontro do Óquei Clube de Barcelos (OCB), tendo sido recebidos por dirigentes do clube, pela equipa sénior e pela equipa técnica. Para Paulo Freitas, treinador do OCB, “deve ser um orgulho receber esta Jornada” já que “tudo o que seja para transmitir bons valores à juventude e não só, é sempre bem-vindo”.

No mesmo dia, os Símbolos visitaram ainda a GNR e os Bombeiros Voluntários, despedindo-se assim do Arciprestado de Barcelos, tendo sido entregues ao Arciprestado de Póvoa do Lanhoso ao final do dia. A entrega dos Símbolos da JMJ deu-se na presença de centenas de fiéis “envoltos em entusiasmo e alegria”, segundo o jornal “O Minho”.

A Peregrinação por este Arciprestado começou com uma arruada pela vila, até aos Bombeiros Voluntários, onde a Cruz Peregrina e o ícone de Nossa Senhora Salus Populi Romani ficaram expostos, havendo ainda tempo para rezar e refletir antes da peça de teatro “À Escuta”.

Na quarta-feira, dia 8 de fevereiro, os Símbolos da JMJ estiveram nas escolas básicas e secundárias do município de Póvoa do Lanhoso, nos Paços do Concelho, e findaram este dia com uma Vigília no salão paroquial. Na quinta-feira, foi a vez da escola profissional e da Santa Casa da Misericórdia receberem os Símbolos da JMJ. Já a despedida do Arciprestado de Póvoa do Lanhoso aos Símbolos deu-se com uma arruada, sendo posteriormente entregues ao Arciprestado de Amares, na Ponte do Porto.

No dia 10 de fevereiro, a Cruz Peregrina e o ícone de Nossa Senhora Salus Populi Romani visitaram lares, escolas, centros sociais, associações de solidariedade e equipamentos municipais, findando esta sexta-feira com um concerto no Mosteiro de Rendufe. Já no sábado, foi a vez das igrejas paroquiais do arciprestado de Amares receberem os Símbolos, encerrando a sua passagem com uma celebração eucarística no Santuário de Nossa Senhora da Abadia. De seguida, deu-se a entrega dos Símbolos da JMJ ao Arciprestado de Terras de Bouro, após uma Eucaristia presidida por D. José Cordeiro.

Após esta receção, a Cruz Peregrina e o ícone de Nossa Senhora Salus Populi Romani rumaram até à Vila do Gerês, onde permaneceram em Vigília até partirem para São Bento, tendo pernoitado nas Monjas Cistercienses de Rio Caldo. No domingo de manhã, os Símbolos da JMJ foram acolhidos com alegria na Basílica de São Bento da Porta Aberta pelo rancho folclórico antes da Eucaristia. De seguida, passaram por várias vilas e paróquias, fechando o dia com Eucaristia e Vigília.

fotos: COD de Braga
A OPINIÃO DE
Tony Neves
Deixei Cabo Verde, terra da ‘morabeza’, já cheio da ‘sodade’ que tão bem nos cantava Cesária Évora.
ver [+]

Pedro Vaz Patto
Talvez a mais surpreendente iniciativa do pontificado do Papa Francisco (onde as surpresas abundam)...
ver [+]

P. Gonçalo Portocarrero de Almada
Segundo a Conferência Episcopal Portuguesa, ninguém pode ser obrigado a comungar na mão, nem proibido de comungar na boca.
ver [+]

Guilherme d'Oliveira Martins
Se há exemplo de ativismo cívico e religioso e para o impulso permanente em prol da solidariedade, da...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
EDIÇÕES ANTERIORES