Lisboa |
XIII Encontro Cristão
Quando o Bem se manifesta na Unidade
<<
1/
>>
Imagem

Será concebível convidar a ser “Fratelli Tutti” e simultaneamente estar ‘de costas voltadas’ para o seu irmão? Será que esta gritante incoerência não fere a consciência dos seus continuados promotores?

Esta evidente incoerência teria, ainda assim, uma gravidade relativa se fosse feita por um Papa, mesmo que esse Papa se chame Francisco... mas é inaceitável que aconteça entre aqueles que são discípulos d´Aquele que ensinou os seus discípulos a dizer - PAI NOSSO!! Este paradoxo atenuou-se um pouco, em Sintra, onde mais de sessenta igrejas e comunidades cristãs se juntaram no dia 28 de janeiro para escrever uma minúscula linha do sonho de Deus.

“Os Apóstolos que Jesus foi chamando estavam a lançar redes… mas Jesus chamou, logo de seguida, os que estavam a consertar as redes… e depois, apesar da abundante pescaria as redes não se romperam”, destacou o Pastor João Martins. Estes discernimentos de prioridades, no contexto da sociedade atual, convidam a um novo agir, salientou o Padre Vasco Pinto Magalhães. E o Bispo Pina Cabral disse o que todos sentíamos – a unidade na diversidade, no interior da família cristã, já se sente como a premissa básica para que se credibilize o anúncio da Boa Nova.

Em dinâmicas muito vivas, membros das comunidades participantes partilharam, durante a tarde e ao jantar, a sua forma de, ao aproximarem-se do Bem, agirem, por consequência, com mais Justiça.

No momento de louvor que concluiu o Encontro, a mímica evidenciava a ligação de Cristo- cabeça, unido à totalidade diversa do Seu corpo, ligação exemplificada com experiências de concretização da Boa Nova, quer no serviço à cidade, quer inovando na qualidade dos relacionamentos, agora inspirados na Trindade. No momento da oração final, ortodoxos russos, católicos, evangélicos, protestantes e ucranianos greco-católicos emocionámo-nos ao ver que, apesar das circunstância dificílimas que condicionam os relacionamentos e convidam à retaliação, o Espírito, ainda assim, abriu caminhos de Paz. E a experiência partilhada pelo Padre Peter Stilwell de ter tocado a pedra do sepulcro inabitado, originou um Pai Nosso de comunhão, com uma densidade mais próxima daquela que o Mestre certamente desejou ao convidar a orar assim…

O ´staff´ do Olga Cadaval comentava no final que, com certeza, o Encontro tinha corrido muito bem, porque todos as pessoas e grupos que saiam vinham com um sorriso de alegria e de grande felicidade. Porventura não saberiam que Jesus prometeu estar mesmo presente onde dois ou mais estiverem reunidos em Seu nome.

Luís Parente Martins
A OPINIÃO DE
Guilherme d'Oliveira Martins
Acaba de ser publicada a declaração “Dignitas Infinita” sobre a Dignidade Humana, elaborada...
ver [+]

Tony Neves
Há fins de semana inspirados. Sábado fiz de guia a dois locais que me marcam cada vez que lá vou. A...
ver [+]

P. Gonçalo Portocarrero de Almada
Conta-nos São João que, junto à Cruz de Jesus, estava Maria, a Mãe de Cristo, que, nesse momento, foi...
ver [+]

Pedro Vaz Patto
Foi muito bem acolhida, pela generalidade da chamada “opinião pública”, a notícia de que...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
EDIÇÕES ANTERIORES