Lisboa |
‘Mission Talks’ no Fórum das Missões
Novos “discípulos no digital”
<<
1/
>>
Imagem

Quatro projetos de evangelização no digital mostram como a fé se está a disseminar no ambiente online. ‘Laboratório da fé’, ‘Queima-te’, ‘Passo-a-Rezar’ e JMJ Lisboa 2023 participaram no ‘Mission Talks’, no Fórum das Missões, deixando a certeza de que a Igreja “tem de ter DIGIpulos” e “estar onde as pessoas estão”.

 

Laboratório da fé

O ‘Laboratório da fé - Redescobrir o caminho da fé’ foi o primeiro projeto de evangelização no digital a ser apresentado no Fórum das Missões. “Temos a missão de ser fermento de Deus no meio do mundo e, por isso, também no digital. Procuramos ter uma presença missionária nas redes sociais”, explicou o padre Marcelino Ferreira, numa videochamada em direto a partir de Braga, diocese em que nasceu este projeto. “Foi o Papa João Paulo II que inspirou, na Jornadas Mundiais da Juventude do ano 2000, o ‘Laboratório da fé, que depois nasceu em 2012, com o Ano da Fé”, acrescentou, convidando à vivência da JMJ Lisboa 2023 “como uma experiência missionária”. “Pode ficar dentro de vós, nos vossos corações, uma semente para um projeto de evangelização que possa surgir”, desejou o sacerdote.

No ‘Mission Talks’, na tarde do passado dia 29 de janeiro, no auditório da paróquia de São João de Deus, em Lisboa, este responsável referiu-se ao seu “projeto de alimento diário” como “uma proposta”. “A partir de uma frase bíblica, da liturgia de cada dia, deixamos ecoar no nosso coração uma breve reflexão, numa linguagem de primeiro anúncio, que depois partilhamos nas redes sociais, em particular no Instagram. Queremos despertar nos corações uma adesão a Jesus Cristo”, resumiu o padre Marcelino, fundador do ‘Laboratório da fé’.

 

Queima-te

“O ‘Queima-te’ é somente uma página no Instagram que, todos os dias, lança uma imagem, com uma frase, e uma breve descrição – e o conteúdo é: vida cristã. Tentamos que a imagem e a frase sejam provocadoras ou que, pelo menos, suscitem curiosidade para que a pessoa leia a descrição”. Foi desta forma que Pedro Viana, um dos fundadores do ‘Queima-te’ – juntamente com Bernardo Rocha –, apresentou este projeto de evangelização, nascido em novembro de 2020, “em plena pandemia”. “Não pensávamos fazer todos os dias, mas como foi resultando…”, partilhou. Quanto ao nome, ‘Queima-te’, deve-se a dois motivos: “Pela frase de Jesus no Evangelho «Vim trazer fogo à terra, e que quero senão que arda?»; e pela expressão coloquial ‘queima-te diante dos outros’, ou seja, fala da tua fé, testemunha, não tenhas vergonha, apresenta-te como cristão”, explicou.

Nesta iniciativa do Serviço de Animação Missionária do Patriarcado de Lisboa (SAMPL), que teve como tema ‘Sereis minhas testemunhas’, Pedro sublinhou ainda que “a Igreja existe para partilhar com os outros a mensagem de Cristo”, e que, por isso, “todos os batizados têm de ser cristãos em saída”. “Temos que estar onde as pessoas estão. Se as pessoas estão no digital, nós, cristãos, temos de estar no mundo digital também, mesmo que achemos que não é o melhor modo para falar do cristianismo”, salientou o responsável do ‘Queima-te’. “Evangelizar no digital é um modo que resulta”, garantiu.

 

Passo-a-Rezar

Para quem diz não ter tempo para Deus, a proposta é o ‘Passo-a-Rezar’, um projeto de evangelização no digital para rezar no comboio, no autocarro ou em qualquer lugar e hora. “Esta plataforma começa com um sino a tocar; depois, deixa uma proposta de oração: ‘Começa agora a tua oração’. É tão simples quanto isto. Estamos à distância de um click”, explicou Pedro Correia, no ‘Mission Talks’, lembrando ser possível levar o ‘Passo-a-Rezar’ no “nosso bolso, no nosso telemóvel”. “Facilmente, no nosso dia-a-dia, onde quer que nos possamos encontrar, a caminho da escola, do trabalho, a passear o cão, no jogging, onde a pessoa quiser, temos a possibilidade de ouvir o sino que nos vai interpelar a ter um tempo com Jesus, a ter um tempo para perceber o que Deus nos quer dizer”, esclareceu.

Pedro partilhou ainda a história de um ouvinte diário do ‘Passo-a-Rezar’, “de manhã, no trânsito”, e que “deixou de estar sempre a resmungar” com os outros condutores e “chega ao trabalho em paz e sossego”.

‘Leva contigo a tua oração’ é o lema desta plataforma dos Jesuítas. “É a possibilidade de nós não termos desculpa para dizermos que não conseguimos ouvir Jesus, que não tivemos tempo para Ele no nosso dia-a-dia”, sublinhou o responsável do ‘Passo-a-Rezar’.

 

JMJ Lisboa 2023

O último projeto de evangelização no digital apresentado durante o Fórum das Missões foi “o desafio de comunicar a Jornada Mundial da Juventude não só em Portugal, mas para todo o mundo”, como salientou Teresa Bento, que integra a equipa de redes sociais da JMJ. “Não é fácil transmitir a mensagem, porque estamos no mundo digital em que o spam de atenção é cada vez mais curto nas redes sociais. Esta provado que os jovens, pessoas com menos de 24 anos, têm menos de 20 segundo de spam de atenção. Portanto, a mensagem que queremos passar tem que ser rápida, com muito impacto”, frisou esta leiga, convidando “todos” a “tornarem DIGIpulos”, ou seja, “discípulos no digital”. “Não é fácil, é preciso coragem, é preciso falarmos de Jesus aos outros que não sabem quem Ele é”, assumiu.

Teresa falou das redes sociais como lugar “para criar relações e comunidade”, onde se fala “para todos”. “Os jovens são o público alvo, mas também os pais deles, a imprensa e gosto de pensar que também é Deus, que está atento ao que os jovens querem ouvir. Temos de tratar o espaço digital como um novo espaço de evangelização. É o espaço que temos para falar de Deus, sendo testemunhas e não juízes”, salientou esta gestora de redes sociais da JMJ Lisboa 2023.

 

Missão - Patriarcado de Lisboa: www.facebook.com/lisboamissao

 

_____________


Abraçar “com amor” as bem-aventuranças

O Fórum das Missões 2023 terminou com o Terço e a Eucaristia, presidida por D. Joaquim Mendes, que convidou ao testemunho e à comunicação do espírito das bem-aventuranças. “Por mais paradoxal que pareça, foram e continuam a ser os santos humildes e os pobres que abrem estes caminhos novos e belos neste mundo enjoado, dormente e anestesiado em que vivemos. Sintamo-nos felizes e abracemos com amor este caminho das bem-aventuranças que o Senhor nos propõe, para sermos felizes, já aqui e depois em plenitude na eternidade”, convidou o Bispo Auxiliar de Lisboa, na Igreja de São João de Deus.

 

_____________


20 segundos e um mundo novo

Em média, são vinte segundos que cada post prende a atenção dos internautas. Será possível, nesta voragem de coisas novas, apresentar o Evangelho? Sim, responde quem sabe, quem faz com paixão e de forma perseverante. Laboratório da Fé, Queima-te, Passo-a-Rezar e a fundação JMJ demonstraram o percurso feito até aqui, neste vasto mar digital do anúncio do Evangelho.

A Missão implica uma atenção especial à comunicação! Cristo era um comunicador nato, muito atento às relações humanas, fazendo da palavra e da imagem lugar de encontro com algo mais. Também hoje, um click pode suscitar ‘rabanada de vento’ que nos leva muito mais longe e, quem sabe, início do significativo like. Neste mundo digital que é nosso somos chamados a ser DIGIpulos!

Padre Albino dos Anjos (SAMPL)

 

_____________


Jovens do mundo vão participar na JMJ Lisboa 2023

Os testemunhos presenciais do ‘Mission Talks’, no Fórum das Missões, foram sendo intercalados por pequenos vídeos de cinco jovens (do Brasil, de Itália, dos Estados Unidos da América e duas da Coreia do Sul), que vão participar, em agosto, na Jornada Mundial da Juventude Lisboa 2023.

 

“Estamos muito empolgados para a JMJ Lisboa 2023, porque acreditamos que os jovens que vão participar neste momento histórico das nossas juventudes católicas vão viver experiências com jovens do mundo inteiro.”

Camila Marques, da paróquia de Nossa Senhora da Boa Nova, em Minas Gerais, Brasil

 

“Nunca participei numa JMJ e estou entusiasmada por poder participar este ano. Quem já foi, aconselhou-me a viver plenamente esta experiência, porque se tornará uma lembrança inesquecível na minha vida. É oportunidade para compartilhar a alegria de ser cristão.”

Maria, de uma paróquia perto de Milão, em Itália

 

“Tenho muita sorte de poder fazer parte desta Jornada Mundial da Juventude. Será a minha segunda Jornada, porque participei em 2011, em Madrid, Espanha, quando tinha apenas 8 anos! Estou muito animada porque sinto que amadureci muito na minha fé.”

Anissia Aguirre, dos Estados Unidos da América

 

“Esta será a minha segunda participação, após a JMJ no Panamá em 2019. Vou tentar motivar e ir novamente ao encontro de todos os jovens voluntários para nos sentirmos fortemente conectados. Esperamos ver-vos em Portugal com uma boa cara e com saúde.”

Yena Rosa Kim, da Diocese de Uijeongbu, na Coreia do Sul

 

“Vou à JMJ como jovem peregrina. Os jovens que participarem nesta JMJ aprofundarão o seu relacionamento com Deus. Espero que a minha fé se aprofunde e orarei para que isso aconteça. Por favor rezem muito pelos nossos jovens coreanos. Vemo-nos em Lisboa!”

Yoonseo Lee Martina, da Coreia do Sul

texto e fotos por Diogo Paiva Brandão
A OPINIÃO DE
P. Gonçalo Portocarrero de Almada
O que caracteriza o casamento não é o amor – que é também comum a outras relações humanas –...
ver [+]

Guilherme d'Oliveira Martins
Acaba de ser publicada a declaração “Dignitas Infinita” sobre a Dignidade Humana, elaborada...
ver [+]

Tony Neves
Há fins de semana inspirados. Sábado fiz de guia a dois locais que me marcam cada vez que lá vou. A...
ver [+]

P. Gonçalo Portocarrero de Almada
Conta-nos São João que, junto à Cruz de Jesus, estava Maria, a Mãe de Cristo, que, nesse momento, foi...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
EDIÇÕES ANTERIORES