Lisboa |
Encontro online com os coordenadores locais do Sínodo
“Acompanhar o caminho sinodal com a nossa oração”
<<
1/
>>
Imagem

Cerca de meia centena de coordenadores locais do Sínodo estiveram reunidos, num encontro online, a 13 de janeiro, para responder às questões do Documento para a Etapa Continental (DEC). Às paróquias do Patriarcado é feito um pedido de oração pela caminhada sinodal.

“A partir desta reflexão, enviaremos um pequeno relatório com o contributo da cerca de meia centena de coordenadores que participaram neste encontro. Este relatório será enviado ainda esta semana para a Conferência Episcopal. Não se trata de uma nova síntese diocesana, mas antes o acolhimento de propostas, acentuações vindas das Equipas Sinodais, que por sua vez serão levadas à Assembleia Continental da Europa, que acontecerá em Praga de 5 a 12 de fevereiro de 2023”, explica, ao Jornal VOZ DA VERDADE, o coordenador diocesano do Sínodo dos Bispos, cónego Rui Pedro Carvalho.

Este responsável salienta que, “entretanto”, vão dar “a conhecer este contributo no site do Patriarcado”. “Para já, podemos acrescentar os temas mais abordados, que enumero de uma forma muito sintética: a importância da sinodalidade como desafio à Igreja do nosso tempo; o acolhimento evangelizador e de uma evangelização acolhedora, que procura chegar a todos, propondo sempre um caminho de salvação; e, por fim, a comunicação na Igreja: o diálogo com o mundo, com a sociedade, com a cultura; mas também a comunicação interna”, resume o sacerdote, deixando um convite: “Continuemos a acompanhar o caminho sinodal, em especial com a nossa oração”.

Recorde-se que, no caminho sinodal, e depois da fase diocesana, a Igreja vive agora a fase continental. A Secretaria-geral do Sínodo emanou o documento de trabalho desta etapa – Documento para a Etapa Continental (DEC), que teve em conta os relatórios de 112 conferências episcopais. Tendo em vista a preparação das duas Assembleias Sinodais que terão lugar em Roma em 2023 e 2024, “este documento inicia um novo processo de discernimento à luz das questões propostas no nº. 106 do DEC”, que este responsável sintetiza “em três palavras: intuições, tensões e prioridades”.

texto e foto por Diogo Paiva Brandão
A OPINIÃO DE
Guilherme d'Oliveira Martins
Vivemos um tempo de grande angústia e incerteza. As guerras multiplicam-se e os sinais de intolerância são cada vez mais evidentes.
ver [+]

Pedro Vaz Patto
Jamais esquecerei a forte emoção que experimentei há alguns dias. Celebrávamos a missa exequial de...
ver [+]

P. Gonçalo Portocarrero de Almada
O último estertor da dissoluta Assembleia da República atenta gravemente contra a liberdade, a religião,...
ver [+]

Guilherme d'Oliveira Martins
Somos alertados pelo Papa Francisco na Mensagem do dia da Paz de 2024 para o facto de as máquinas inteligentes...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
EDIÇÕES ANTERIORES