Lisboa |
Maria Teresa Félix da Costa Seabra
Morreu a fundadora do Apoio à Vida
<<
1/
>>
Imagem

No dia de Natal, a 25 de dezembro, morreu a fundadora e primeira presidente da direção do Apoio à Vida, Maria Teresa Félix da Costa Seabra, irmã do cónego João Seabra, que tinha falecido em junho passado.

“Para a Teresa, nunca houve dúvidas quanto ao valor de uma vida. Demonstrou-o em todos os momentos e atitudes que testemunhámos, quer quando recebia mulheres grávidas em dúvida que precisavam de ser compreendidas e fortalecidas, quer mais tarde, quando teve de enfrentar a sua doença”, assinala um comunicado do Apoio à Vida, recordando ainda que, “em 1998, aquando da mobilização pelo Não no referendo à legalização do aborto, tornou-se claro que muitas mulheres o faziam porque não encontravam apoio”. “E foi por isso que, desde o primeiro dia, sem hesitar, a Teresa se dedicou de alma e coração a esta Associação”, garante a nota. Desde então, “graças à Teresa, o Apoio à Vida já ajudou centenas de Mães a dizerem sim aos seus bebés, acompanhando-as até se reconhecerem fortes e autónomas”, lembra.

Numa mensagem, a presidente da Federação Portuguesa pela Vida recordou que Teresa Seabra foi das “primeiras ‘operacionais’ no movimento de defesa da Vida que foi a génese da Federação pela Vida”. “Nesta hora de luto e dor, para toda a família e amigos, fica-nos também a Memória de quem mais do que nós, usou a Caridade – sempre pela Vida. Obrigado querida Teresa!”, escreveu Isilda Pegado.

A OPINIÃO DE
Tony Neves
O Gabão acolheu-me de braços e coração abertos, numa visita que foi estreia absoluta neste país da África central.
ver [+]

Pedro Vaz Patto
Impressiona como foi festejada a aprovação, por larga e transversal maioria de deputados e senadores,...
ver [+]

Guilherme d'Oliveira Martins
Há anos, Umberto Eco perguntava: o que faria Tomás de Aquino se vivesse nos dias de hoje? Aperceber-se-ia...
ver [+]

Pedro Vaz Patto
Já lá vai o tempo em que por muitos cantos das nossas cidades e vilas se viam bandeiras azuis e amarelas...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
EDIÇÕES ANTERIORES