JMJ Lisboa 2023 |
Périplo pelos países de língua portuguesa
A JMJ em Timor e na Guiné Bissau
<<
1/
>>
Imagem

A Fundação Jornada Mundial da Juventude (JMJ) Lisboa 2023 tem andado a promover a JMJ Lisboa 2023 junto dos países que integram a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). Com a ida a Timor-Leste e Guiné-Bissau, concluiu-se o périplo pelos países de língua portuguesa.

 

Na Guiné pelas “pessoas irmãs”

A comitiva do Comité Organizador Local (COL) da JMJ Lisboa 2023 participou na Peregrinação Nacional a Cacheu, na Guiné-Bissau, que contou com mais de 7.000 participantes de todas as idades e de diversas localidades. Participar nesta peregrinação foi, para o Pe. Nuno Coelho, um dos elementos da comitiva, uma oportunidade para “estabelecer pontes de diálogo”, realçando a importância desta proximidade já que é mais fácil conseguir inscrições de “pessoas que são amigas, que são irmãs” e, por isso, é preciso “que as pessoas se sintam convidadas a participar na JMJ Lisboa 2023”.

O Coordenador da Comissão da Adolescência e Juventude da Diocese de Bissau, Frei Galeano Oliveira, ressalvou que é a primeira vez que este convite é feito diretamente aos jovens da Guiné-Bissau, e que este esforço se trata também, em grande parte, por esta ser uma JMJ realizada em Portugal, país com o qual a Guiné-Bissau mantém uma relação de proximidade. “A vossa presença é um ponto alto, sensibilizou-nos muito”, referiu. O Frei Gilson Oliveira adiantou que, depois desta visita, “agora também podemos começar uma grande mobilização para a JMJ Lisboa 2023” e revelou que estão a tentar organizar um grupo de 140 pessoas, entre jovens peregrinos, padres e também voluntários, para virem a Lisboa em agosto de 2023.

 

Juventude de Timor quer vir a Portugal

Em Timor-Leste esteve outra comitiva do COL da JMJ Lisboa 2023, que visitou as diversas dioceses do país, participando nas suas várias atividades e conhecendo as suas diferentes realidades. Durante a estadia, a comitiva portuguesa esteve sempre acompanhada por muitos jovens, sacerdotes e famílias que “pediam para estar junto a nós”, conforme contou a Ir. Lara Saavedra, uma das representantes da comitiva. 

Sobre esta visita da JMJ Lisboa 2023, o Cardeal timorense D. Virgílio do Carmo da Silva realçou a importância de “criarmos uma boa relação com várias culturas do mundo”, destacando a Jornada Mundial da Juventude como “um momento de experiência de fé com os jovens”. D. Virgílio do Carmo da Silva aproveitou para encorajar os jovens a participarem neste grande encontro, já que esta “é uma experiência que não dá para ter todos os anos”. O cardeal acredita que os jovens que poderão estar em Lisboa, em agosto de 2023, voltarão depois a Timor-Leste para partilharem as suas experiências, levando “esse testemunho para toda a gente, especialmente para os outros jovens”.

Os jovens timorenses estão já a preparar-se para viverem a Jornada Mundial da Juventude Lisboa 2023, nomeadamente a avaliar as condições necessárias para uma viagem desta natureza. Para o Pe. Francisco Nascimento de Serra, coordenador da Pastoral Juvenil da Diocese de Maliana, os jovens que querem participar na JMJ Lisboa 2023 precisam de “iniciativa e criatividade”. Questionado sobre os frutos que esta Jornada poderá trazer, o coordenador da Pastoral Juvenil da Diocese de Maliana referiu o “espírito voluntário para caminhar junto com Jesus”.

A OPINIÃO DE
Guilherme d'Oliveira Martins
O poema chama-se “Missa das 10” e foi publicado no volume Pelicano (1987). Pode dizer-se...
ver [+]

Tony Neves
Cerca de 3 mil Espiritanos, espalhados por 63 países, nos cinco continentes, anunciam o Evangelho....
ver [+]

Tony Neves
Deixei Cabo Verde, terra da ‘morabeza’, já cheio da ‘sodade’ que tão bem nos cantava Cesária Évora.
ver [+]

Pedro Vaz Patto
Talvez a mais surpreendente iniciativa do pontificado do Papa Francisco (onde as surpresas abundam)...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
EDIÇÕES ANTERIORES