JMJ Lisboa 2023 |
Encontro Preparatório Internacional
Não se paga para ver o Papa na JMJ
<<
1/
>>
Imagem

Não se paga para ver o Papa na JMJ, mas para comer, para o alojamento, os cuidados de saúde, os transportes...

De facto, há um montante que é pedido a cada peregrino para ajudar nos custos do alojamento, transporte, seguro, alimentação e para o kit do peregrino. O montante, 235 euros, é para toda a semana e tudo incluído. Ou no caso do fim de semana, 125 euros. Há ainda uma ajuda que é pedida aos voluntários: para duas semanas, tudo incluído, 145 euros.

Em declarações aos jornalistas presentes no Encontro Preparatório Internacional, D. Américo Aguiar, presidente da Fundação JMJ Lisboa 2023, sublinhou o esforço da organização da JMJ para que se mantivesse o montante em relação à jornada anterior, apesar de todas as crises dos últimos meses: “Nós temos convivido desde 2019 com a palavra incerteza. O que tentamos foi esmagar ao máximo o que possam ser os custos a repercutir no que é o esforço de cada jovem, para que eles possam participar, mas com algum receio e algum medo dos preços reais da vida e das coisas em agosto de 2023. Estamos a partilhar com os jovens o menor esforço possível para que eles possam participar, esperando que corra bem e, se correr menos bem, caberá à organização encontrar soluções para a diferença que possa surgir”. É já público também que, caso exista algum superavit, será aplicado em projetos para a juventude.

 

Uma JMJ para todos

“A nossa vontade é que a jornada seja verdadeiramente global, verdadeiramente aberta a todos os jovens, independentemente das suas origens, dos seus países, das suas caraterísticas. Que todo os jovens possam participar é o mais importante para nós.”

(Duarte Ricciardi, Secretário-executivo da JMJ Lisboa 2023)

 

Das mais importantes JMJ

A JMJ Lisboa 2023 “é talvez uma das mais importantes, nos últimos 30 anos, porque é renascer de novo, depois de um longo tempo, da Jornada do Panamá”.

(Cardeal Kevin Farrell, Prefeito do Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida).

 

Criar o futuro

“Nós, na Igreja em Portugal, concretamente nós que temos particular responsabilidade na vida da Igreja, já há muito tempo que vínhamos sentindo que o protagonismo do futuro, sobretudo na maneira de atuar, de estar, reagir e viver, é de outra geração, que não é a nossa. É muito necessário proporcionar não só à Igreja e aos jovens católicos, mas até à sociedade portuguesa, que integramos em grande parte, uma oportunidade de rejuvenescimento: outra maneira de estar, de conviver, falar, de dar opiniões, criar futuro. E uma Jornada Mundial da Juventude é uma ocasião ótima para isso, como temos verificado naquelas que se vêm realizando desde os anos 80”.

(D. Manuel Clemente, Cardeal-Patriarca de Lisboa)

 

Rede de Pastoral Juvenil

“O Encontro Preparatório Internacional é um momento para a preparação próxima das Jornadas. Ele faz parte de um caminho que está a ser desenvolvido ao longo dos anos. A JMJ não é só um evento, mas uma oportunidade para criar uma rede, para animar o trabalho de Pastoral Juvenil no mundo inteiro.  Este é um momento de encontro: temos cerca de 300 delegados de cerca de 100 países e isso permite criar uma rede internacional que, da parte da Igreja, procura acompanhar os jovens onde eles se encontram”.

(Padre João Chagas, Dicastério para os Leigos, Família e Vida)

 

A JMJ vai ser um sucesso

“O país está preparado e a Jornada Mundial da Juventude em Lisboa e Loures vai ser um sucesso, não tenho a mínima dúvida. Quer pela dimensão – espera-se mais de um milhão de jovens - quer pela atualidade dos temas, quer por esta oportunidade de ouvirmos jovens falar sobre diferentes dimensões de natureza espiritual, das quais não trato, mas também de natureza pública e social, que dizem respeito ao Parlamento português. Já manifestamos todo o nosso apoio à Jornada, e em particular as iniciativas no âmbito das JMJ que estejam diretamente relacionadas com a participação e educação cívica dos jovens”.

(Augusto Santos Silva, Presidente da Assembleia da República)

 

______________

 

Feira dos COD’s

Informações sobre cada Diocese, muita disponibilidade para falar com as delegações de todo o mundo e também alguns sabores. De facto, na Feira dos COD’s também se encontra queijo, licor, pastéis de nata (os de Fátima) e até vinho do Porto. Ou melhor: “vinho fino”.

Durante o Encontro Internacional Preparatório, cada Comité Organizador Diocesano da JMJ teve a oportunidade de se dar a conhecer às delegações presentes e continuar a planear o acolhimento de dioceses de todo o mundo na semana anterior à JMJ Lisboa 2023, nos Dias nas Dioceses.

 

Durante todo o Encontro Preparatório Internacional, os participantes puderam acompanhar a montagem dos terços JMJ

A OPINIÃO DE
Tony Neves
O Gabão acolheu-me de braços e coração abertos, numa visita que foi estreia absoluta neste país da África central.
ver [+]

Pedro Vaz Patto
Impressiona como foi festejada a aprovação, por larga e transversal maioria de deputados e senadores,...
ver [+]

Guilherme d'Oliveira Martins
Há anos, Umberto Eco perguntava: o que faria Tomás de Aquino se vivesse nos dias de hoje? Aperceber-se-ia...
ver [+]

Pedro Vaz Patto
Já lá vai o tempo em que por muitos cantos das nossas cidades e vilas se viam bandeiras azuis e amarelas...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
EDIÇÕES ANTERIORES