JMJ Lisboa 2023 |
Carta do presidente da Fundação JMJ Lisboa 2023
“Será um tempo único, para nos encontrarmos com CRISTO VIVO”
<<
1/
>>
Imagem

O presidente da Fundação JMJ Lisboa 2023, D. Américo Aguiar, escreveu recentemente aos sacerdotes do Patriarcado de Lisboa sobre os próximos momentos do caminho de preparação até ao encontro que vai reunir os jovens de todo o mundo, na primeira semana de agosto, em Lisboa.

 

O calendário vai consumindo os dias dedicados às férias e ao descanso e já conseguimos ver o pórtico do novo ano pastoral que se avizinha. O mesmo se diga do pórtico da JMJ LISBOA 2023.

A Peregrinação dos Símbolos da JMJ já percorreu mais de metade das nossas dioceses e estamos agora no sentido Litoral. Testemunho e sinto com verdadeira alegria e esperança, um crescendo de conhecimento e adesão ao nosso Encontro Mundial de Jovens. Estive no Algarve, em Beja, Évora, Portalegre-Castelo Branco, Viseu, Guarda, Funchal, Açores, Lamego, Bragança-Miranda e, por estes dias, em Vila Real. Os Símbolos chegarão a Lisboa em Julho próximo. Dou graças a Deus por esta oportunidade única de fazer caminho com todos estes nossos irmãos, rumo à JMJ LISBOA 2023. Acredito, acreditamos que será um tempo também ele único, para nos encontrarmos com CRISTO VIVO. Há quem se refira ao facto de que, nalgumas geografias o acolhimento possa ter sido menos entusiasta, mas o mesmo aconteceu em jornadas anteriores… algo que foi sempre superado e essa é a minha certeza, esperança e oração.

Creio ser possível avançarmos com o processo de inscrições em meados do mês de Outubro, sendo que o primeiro "jovem" a inscrever-se será o Papa Francisco. Escrevo-vos consciente de que precisamos muito da vossa ajuda, da ajuda de cada um e da ajuda de todos, para que a inscrição dos jovens portugueses comece desde esse momento. Não podemos esperar pelas vésperas como é nosso hábito. Conquistar os peregrinos nacionais tem sido um enorme desafio em todas as anteriores edições da JMJ e não será diferente em Portugal. Permitam-me que repita o quanto preciso da Vossa ajuda, empenho, dedicação e presença.

Na semana de 1 a 6 de agosto, e mais concretamente no fim de semana de 5 e 6 de agosto, temos de estar todos em Lisboa para acompanharmos os nossos jovens. Não basta enviá-los para Lisboa... temos de fazer caminho com eles. Nessas datas procuremos diminuir ao mínimo possível e recomendável, os trabalhos e serviços paroquiais, bem como a oferta das celebrações eucarísticas. Não poderá ser de outro modo. Não me parece que mais alguma vez nas nossas vidas e na história de Portugal, seja possível voltar a acolher uma JMJ, um Encontro Mundial de Jovens. E também sinto o quanto desejamos este encontro entre os nossos jovens e os jovens do mundo inteiro, com o Papa Francisco, com Cristo Vivo...

Quanto ao acolhimento dos jovens peregrinos, na semana anterior nas nossas comunidades espalhadas por todo o país, os chamados Dias nas Dioceses, quero desde já agradecer a disponibilidade de cada comunidade e de cada família. O objetivo é proporcionar a estes jovens um tempo de vivência de família e de comunidade nesse território. Não se pretende que os cansemos com múltiplas atividades e viagens. Mas que possam “estar” convosco. Com os jovens portugueses e com as famílias portuguesas. Não se pretende que seja uma mini JMJ, uma réplica do que irão viver em Lisboa. Absolutamente que não. Seria desgastante terem duas semanas com a repetição das mesmas atividades e estímulos. Os Dias nas Dioceses vão tendo cada vez maior participação exatamente pela oferta diferenciadora que é como que uma antecâmara da JMJ. Poderão ter algum evento inicial ou final, na cidade ou na sede da diocese, e devemos evitar que “apenas” durmam na comunidade que os vais acolher. A nós, Lisboa, não se coloca a questão do acolhimento dos Dias nas Dioceses, tal como a Setúbal e a Santarém. Não seremos dioceses acolhedoras para esse fim.

O nosso desafio e compromisso é com a semana da JMJ propriamente dita. E tudo o mais que será necessário para que a mesma aconteça. Vamos acolher nada mais nada menos que a juventude do mundo inteiro... cabem? Um de cada vez... venham todos. O acolhimento nas nossas famílias e instituições será o maior desafio... conto com todos vós, todo o vosso empenho e entrega. Se fosse fácil não era para nós. O COL e o COD Lisboa irão manter permanente comunicação com COP's e COV's. Tudo vai correr bem... os nossos Patronos estão já em alerta máximo.

Caríssimos irmãos, desculpem tão longa missiva, neste tempo em que muitos de vós ainda gozam algum tempo de tão merecido descanso, mas este desafio imenso, que abraço desde o primeiro momento, só será possível com a ajuda de todos, de um modo especial a Vossa, que desde já agradeço, reconhecido, muito grato e antevendo os dias em que todos estaremos reunidos à volta do mesmo altar, com o nosso Papa Francisco.

Abraço fraterno em Cristo Vivo, e sempre ao dispor,

 

D. Américo Aguiar

Presidente da Fundação JMJ Lisboa 2023

A OPINIÃO DE
Guilherme d'Oliveira Martins
Acaba de ser publicada a declaração “Dignitas Infinita” sobre a Dignidade Humana, elaborada...
ver [+]

Tony Neves
Há fins de semana inspirados. Sábado fiz de guia a dois locais que me marcam cada vez que lá vou. A...
ver [+]

P. Gonçalo Portocarrero de Almada
Conta-nos São João que, junto à Cruz de Jesus, estava Maria, a Mãe de Cristo, que, nesse momento, foi...
ver [+]

Pedro Vaz Patto
Foi muito bem acolhida, pela generalidade da chamada “opinião pública”, a notícia de que...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
EDIÇÕES ANTERIORES