Mundo
Santos Tai Gatluk: um catequista refugiado em Bidibidi, no Uganda
Uma vida em fuga
“Conheço a guerra desde a barriga da minha mãe.” Tem 33 anos, mas parece muito mais velho. Parece mesmo não ter idade. Vive num campo de refugiados no Uganda, mas nasceu no Sudão do Sul. Pertence à chamada “geração perdida”. Nunca soube o que é viver em paz.
ver [+]
A missão da Irmã Treacy e do Padre Boniface em Rumbek, no Sudão do Sul
Arriscar tudo, todos os dias
Que têm em comum uma irmã irlandesa e um padre espiritano oriundo da Etiópia na Diocese de Rumbek, no Sudão do Sul? O país, na sua curta história, tem estado quase sempre em guerra e contabiliza já milhares de mortos e milhões de deslocados e refugiados.
ver [+]
Venezuela: no meio do caos, há sempre alguém que faz a diferença
Um ‘chef’ 5 estrelas
A Venezuela vive, muito provavelmente, a pior crise da sua história. Morre-se à fome neste país que já foi invejado pelas suas riquezas, pelo nível de vida das suas populações. Faltam bens de primeira necessidade, a inflação é galopante. O futuro incerto.
ver [+]
Histórias de esperança no bairro de lata de Dagoretti, no Quénia
Renascer em Nairobi
Numa pequena casa no meio de um gigantesco bairro de lata na capital do Quénia acontecem milagres quase todos os dias. Crianças órfãs, pessoas desesperadas, mães que não conseguem sequer alimentar os seus filhos, encontram abrigo nessa casa e descobrem motivo de esperança para as suas vidas.
ver [+]
Campanha da Fundação AIS distribui leite às crianças de Alepo na Síria
Uma gota de vida
Alepo é uma cidade com marcas profundas da guerra. Há bairros inteiros em ruínas, prédios que desabaram, buracos de balas nas paredes. Alepo é uma cidade cheia de cicatrizes. Há nove anos que começou a guerra. Desde há nove anos que o quotidiano dos Sírios está marcado pela violência.
ver [+]
Paquistão vive onda de sequestros e conversões forçadas de jovens cristãs
Crime sem castigo
Shafilla tinha 14 anos quando foi raptada por familiares muçulmanos. Não toleravam que ela fosse cristã. Quiseram castigá-la. Violada vezes sem conta, esteve em cativeiro durante meses e foi forçada a converter-se ao Islão. Shafilla só foi libertada...
ver [+]
A aventura de um frade italiano no meio da Amazónia brasileira
Capuchinho pronto-socorro
Todos o conhecem. O Frei Gino usa uma barba branca, rala, que lhe cobre o pescoço como um colar. Tem uma voz branda com um indisfarçável sotaque italiano. Gino Alberati é padre mas ali, nas margens do rio Içá, na paróquia de Santo António de Lisboa, é mais do que isso.
ver [+]
O apelo do Padre Walter, um ano depois do sequestro do irmão no Níger
“Não nos abandonem!”
O Padre Pier Luigi Maccalli foi sequestrado no Níger há um ano. Desde então, nunca mais houve qualquer notícia. Apenas silêncio. Doze meses depois, o seu irmão, também padre e missionário, falou com a Fundação AIS. Acreditando que a libertação vai acontecer, o Padre Walter pede-nos ajuda.
ver [+]
Iraque: cinco anos depois da invasão jihadista, cristãos lançam alerta
Até ao fim
Fez, em Agosto, cinco anos. Parece ter sido ontem. A brutal invasão dos jihadistas do Daesh das terras bíblicas da Planície de Nínive, no Iraque, provocou a fuga a mais de 120 mil cristãos. Cinco anos depois, os cristãos continuam a sentir-se abandonados e pedem ajuda.
ver [+]
Síria: a certeza da fé de uma mãe confrontada com a morte do filho
A última vez
Yolla não consegue esquecer as palavras do filho quando se despediu da família ao regressar ao quartel após uma breve visita. Soldado no exército do país, Krikor morreria em combate sete dias mais tarde. Yolla é um exemplo da tragédia sem fim que se abateu sobre a comunidade cristã na Síria.
ver [+]
Lembrar os mártires de Guiúa a propósito da visita do Papa a Moçambique
Fama de santidade
A guerra civil estava quase a chegar ao fim. O acordo de paz seria assinado dali a menos de sete meses, mas a 22 de Março de 1992 haveria de ocorrer o massacre de 23 cristãos. Foram mortos nessa noite e logo nasceu uma fama de santidade que tem crescido,...
ver [+]
Arcebispo de Mérida denuncia situação catastrófica na Venezuela
“Dói ver o povo assim…”
É um retrato impiedoso de um país que está a desmoronar-se de dia para dia. É um grito de alerta para a situação terrível de pobreza em que se encontram milhões de pessoas, vítimas da prepotência do regime. É um pedido de ajuda e um obrigado por tudo...
ver [+]
A OPINIÃO DE
Tony Neves
O Gabão acolheu-me de braços e coração abertos, numa visita que foi estreia absoluta neste país da África central.
ver [+]

Pedro Vaz Patto
Impressiona como foi festejada a aprovação, por larga e transversal maioria de deputados e senadores,...
ver [+]

Guilherme d'Oliveira Martins
Há anos, Umberto Eco perguntava: o que faria Tomás de Aquino se vivesse nos dias de hoje? Aperceber-se-ia...
ver [+]

Pedro Vaz Patto
Já lá vai o tempo em que por muitos cantos das nossas cidades e vilas se viam bandeiras azuis e amarelas...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
EDIÇÕES ANTERIORES